-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-

Category archive

Mundo - page 68

2014: mais um ano para andar de lado

em Brasil/Mundo por

Por Telmo Schoeler.

Como estamos no limiar de um novo ano, empresas e gestores estão todos com os periscópios levantados no esforço de enxergar o que vem pela frente, o que fazer e como se posicionar. No meu entender, salvo para algumas empresas e setores pontualmente beneficiados, 2014 será um ano para andar de lado, o que, diante das nossas potencialidades desperdiçadas e de oportunidades pelo mundo, significará mais um ano perdido.

Para entender porque, precisamos olhar para dentro e para fora do país. Internamente, pelo menos quatro fatores continuarão deixando a desejar: a inflação crônica, a assimetria entre as políticas monetária e fiscal, o aumento do déficit público e a deterioração das contas externas, sem perspectivas de mudança por serem atreladas ao modelo político-econômico vigente. No cenário internacional, estamos diante da recuperação e melhoria dos Estados Unidos, dos principais países europeus e da própria China. E, dentro dessa mesma perspectiva, em decorrência do somatório dessas realidades interna e externa, estamos diante da piora na percepção da economia brasileira. Fatos e percepções estarão contra nós, o que não se reverte apenas com discursos ou promessas, razão pela qual são visíveis no horizonte, a) o rebaixamento do rating de risco brasileiro, b) a apreciação do dólar e c) a diminuição do fluxo de investimento direto e não especulativo.

Importações perderão a conveniência e as exportações tenderão a ser favorecidas, o que parece positivo, embora se imponha uma análise mais profunda. A desindustrialização e falta de investimentos dos últimos anos aumentaram em muito a dependência de insumos importados, o que fará com que a subida do dólar tenha um impacto direto nos custos, por decorrência, nos preços e, portanto, na inflação. Esta, sendo crescente, obrigará o governo a elevar a taxa de juro, com reflexos de aumento nos custos financeiros das empresas e de diminuição na capacidade de consumo da população, pois, mesmo que continue a política de concessão de reajustes do salário mínimo acima da inflação, os preços reais subirão mais do que isso. Em síntese, a balança comercial e de pagamentos tenderá a ser pouco favorecida pelo comportamento do dólar em alta, embora, evidentemente, o agronegócio, as commodities e os minérios deverão ser beneficiados.

Pode ser esperada a continuidade da política de fomento ao consumo via subsídios, benefícios, bolsas ou mesmo desonerações tributárias pontuais para produtos ou setores específicos, mas seu uso retroalimentará negativamente os fatores internos e externos que nos afligem. A obrigatória subida dos juros terá como efeitos: 1) retração do consumo pelo encarecimento do crédito; 2) aceleração do esgotamento da capacidade de endividamento das pessoas físicas; 3) aumento das taxas de inadimplência; 4) maior dificuldade de tomada de crédito, por óbvios critérios de maior seletividade por parte dos bancos.

O clássico efeito tesoura fará com que empresas tenham uma tendência a margens e resultados decrescentes. Por decorrência, a Bolsa de Valores deverá, na melhor das hipóteses, andar de lado. Quem depender de investimentos governamentais não poderá esperar reversão da lentidão ou atraso de obras, pois não haverá recursos suficientes para cumprir cronogramas.

Toda essa realidade aponta para uma performance pouco satisfatória do comércio, em decorrência do endividamento das famílias ter atingido seu limite. Se somarmos essas duas constatações, que já são um fato, veremos que consumidores que compraram além da conta estão recorrendo ao crédito pessoal – com tradicionais taxas altas – para liquidar suas dívidas, o que faz antever um aumento da inadimplência. O esgotamento da capacidade popular de tomada de crédito está também já demonstrado no decrescente uso de recursos do próprio programa “Nossa Casa Melhor”.

Para aquela parcela de brasileiros eternamente otimistas que acham que a Copa da FIFA trará uma injeção de ânimo nos negócios, um alerta: ela poderá favorecer, pontual e limitadamente, hotéis, companhias de aviação e restaurantes, além de impulsionar cervejas e televisores. Mas não será boa para o varejo em geral, pelo fechamento de lojas, feriados, dispersão de atenção, gastos com ingressos e correlatos etc. Como disse um empresário do ramo: “ninguém compra um tênis novo para assistir um jogo”. Sem falar que o término das obras que forem terminadas para a Copa jogará no mercado uma substancial força de trabalho que não necessariamente encontrará novas oportunidades.

Toda essa realidade mostra que o ano entrante terá mais um pibinho com evolução pífia rondando os 2%, como tem sido os últimos, muito longe de uma evolução mínima de 4% a 5% que seria necessária para manter esta nave pelo menos estabilizada, ainda que não pujante.

O cenário será difícil para as empresas endividadas e com estruturas de capital desbalanceadas. Episódios como os do desmoronamento do Grupo X (Eike), mesmo que decorrentes de menor pirotecnia, poderão se repetir. Os erros de governança, planejamento, gestão e falta de realismo econômico, mais do que nunca mostrarão sua cara. Por isso, podemos esperar crescente número de recuperações judiciais e falências, com todos os efeitos daí decorrentes.

Diante disso, e em síntese, cabem as seguintes recomendações às empresas:

–  Seja mais conservador do que nunca e preserve sua liquidez;

–  Postergue investimentos e decisões não essenciais;

–  Fique atento para boas oportunidades de aquisições, pois muitas empresas terão problemas, oportunizando ativos a baixos preços;

–  Evite e reduza o endividamento;

–  Se mesmo assim precisar de crédito, os bancos oficiais tenderão a ser melhores alternativas;

–  Caso recursos de longo prazo forem necessários, debêntures tenderão a ser uma boa alternativa, inclusive porque investidores internacionais serão atraídos por taxas crescentes no Brasil;

–  Não conte com investidores de capital de risco: será difícil achá-los, salvo em condições desinteressantes de deságio influenciadas pelo cenário brasileiro.

Telmo Schoeler é sócio-fundador e Leading Partner da Strategos – Strategy & Management, fundador e coordenador da Orchestra – Soluções Empresariais, a primeira e maior rede de organizações multidisciplinares de assessoria em gestão empresarial. Possui 47 anos de prática profissional, metade exercendo funções executivas de diretoria e presidência de empresas nacionais e estrangeiras.

Universidades na Holanda oferecem bolsas de estudo para brasileiros

em Brasil/Cultura e Entretenimento/Mundo por

Com várias oportunidades para cursos de nível superior ministrados em inglês, universidades oferecem cerca de 60 opções de bolsas de estudo para brasileiros, onde recebem inscrições até o final de março de 2014.

Para conhecer e ver os requisitos para se candidatar, acesse o banco de cursos do Nuffic Neso Brazil
No site, é possível criar um filtro por palavra-chave e encontrar as ofertas disponíveis de acordo com a sua área de estudo. Além de detalhes do programa, no mesmo link é possível pesquisar os valores, os requisitos necessários para admissão e as possibilidades de bolsas existentes para cada um dos cursos.

Dentre os programas, destaca-se o Orange Tulip Scholarship – OTS Brazil 2014, que oferece bolsas integrais e parciais exclusivas para brasileiros. Este ano, os valores podem chegar até 32.500 Euros.

Bolsas de estudo

Sem fins lucrativos e financiada pelo próprio governo, os valores de um curso superior na Holanda são bem em conta quando comparado com outros grandes destinos. As universidades do país oferecem anuidades a partir de 4.000 euros e, para os brasileiros com cidadania europeia, o investimento não ultrapassa dois mil euros por ano.

Estudantes com excelente desempenho acadêmico podem participar dos processos de bolsas oferecidos pelas próprias universidades holandesas. Esses programas podem oferecer descontos integrais ou parciais sob o valor da anuidade ou entregar ao estudante um valor em dinheiro para ajudar a financiar os estudos e o custo de vida durante a estadia no país.

Requisitos de admissão

Diferentes universidades podem ter requisitos específicos, mas proficiência em inglês é mandatório. TOEFL e o IELTS são os testes mais comumente aceitos. Para o TOEFL, normalmente é exigida uma pontuação mínima de 550 para o teste no papel e 213 para o teste no computador. Para o IELTS é exigida uma pontuação mínima de seis.

Em termos de documentação, as principais exigências das universidades holandesas são: Histórico acadêmico adequado e testes de proficiência em inglês. Para estudantes de bacharelado é exigido diploma de ensino médio, para alunos de mestrado é exigido diploma de graduação e assim por diante.

Vida cultural intensa, baixo custo de vida, população amistosa, pouca burocracia e educação de qualidade e aulas em inglês. Com tantos atrativos, é compreensível que a Holanda, um dos primeiros países a internacionalizar o seu ensino superior, tenha hoje mais de 10% da sua população acadêmica formada por estrangeiros, o que torna o ambiente de estudos extremamente multicultural.

© 2013, The São Paulo Times.

Microsoft promete anunciar novo CEO em 2014

em Mundo/Negócios/Tecnologia e Ciência por

Um novo CEO da Microsoft será anunciado em 2014, segundo nota publicada nesta terça-feira (17) por John W. Thompsom, presidente da comissão responsável por encontrar o novo diretor-executivo da companhia.

Em agosto, Steve Ballmer, atual CEO, em meio à anunciada transformação da Microsoft em uma empresa de dispositivos e serviços, comunicou sua aposentaria em até 12 meses. O prazo para saída de Ballmer e escolha do substituto também foi estipulado dentro deste período, com uma decisão que deve ser tomada após seleção de candidatos internos e externos feita por uma comissão especial, nomeada pelo Conselho de Administração, para dirigir o processo de sucessão. Este comitê é presidido por John Thompson, Bill Gates, presidente do Conselho, Chuck Noski, do comitê de Auditoria e o presidente do comitê de remuneração, Steve Luczo.

“Foram identificados mais de 100 possíveis candidatos. Conversamos dezenas deles, e, em seguida, concentramos nossa energia intensamente em um grupo de cerca de 20 pessoas, todas extremamente impressionantes”, afirma Thompsom, em nota.

Até o momento não há previsões para a data exata do fim do recrutamento, que deve ser feito até 2014, pela comissão especial, ainda dentro do período estipulado para saída de Ballmer.

© 2013, The São Paulo Times, por Kaique Oliveira.

Fusão da American Airlines e da US Airways deve resultar na maior companhia aérea do mundo

em Mundo/Negócios por

Se confirmada a fusão entre a American Airlines e a US Airways, o resultado será a maior companhia aérea global. A operação prevê um adicional de US $ 1 bilhão por ano a partir de 2015, além dos lucros parciais já contabilizados separadamente. As ações da US Airways subiram 68%, desde que o anúncio foi feito, em fevereiro. Os investidores da American Airlines também se beneficiarão, apesar de a empresa ter falido. O mesmo deve ocorrer entre os colaboradores das companhias aéreas, que afirmam, junto a seus sindicatos, estarem de acordo com a operação.

O mesmo não se pode afirmar dos clientes. Segundo William J. Baer, procurador-geral assistente para a divisão antitruste do Departamento de Justiça, responsável por anunciar o acordo: “Isso vai atrapalhar os relacionamentos acolhedores entre as companhias tradicionais, que atualmente fornecem maior número de vôos e passagens aéreas mais competitivas”.

Ambas concordaram em desistir de 138 espaços de decolagem e pouso em Washington D.C`s Reagan National Airport e New York’s La Guardia Airport, além de operar com reduções em cinco outros aeroportos menores. Isso equivale a diminuir 112 vôos diários, que correspondem a 1,6% da capacidade das duas companhias juntas. Quanto mais vôos da American/US Airways são fechados, maior a concorrência no mercado de aviação comercial, o que pode prejudicar os viajantes aéreos.

Em acordo com o governo dos Estados Unidos, a American Airlines e a US Airways concordaram em manter bases existentes, por apenas três anos, nos seguintes aeroportos: Aeroporto Internacional JFK, em Nova York, Charlotte -Douglas , na Carolina do Norte, O’Hare, em Chicago, Los Angeles International, Miami International, Philadelphia International e Phoenix Sky Harbor International Airport , no Arizona.

Na última década, o número de grandes companhias aéreas caiu de oito para quatro, e, se confirmada esta fusão, cairá para três. O cenário que tem sido observado é a piora atendimento às zonas menos povoadas do país e a alta dos preços nas passagens, além da diminuição da prestação de serviços para os aeroportos de médio porte, como Pittsburgh.

(c) 2013, Newsweek

Cientistas descobrem que poluição pode aumentar o risco de autismo

em Mundo por

Além dos inúmeros riscos à saúde causados pela poluição já detectados, cientistas da Escola Keck de Medicina, da Universidade do Sul da Califórnia (USC), EUA, apontam para novas possibilidades. O estudo desenvolvido por eles diz que a exposição à poluição do ar, quando combinada a uma desordem genética específica, pode aumentar o risco de autismo.

Intitulado “Transtorno do espectro do autismo: interação da poluição do ar com o receptor gene MET tirosina quinase, transtorno do espectro do autismo, ou ASD”, a pesquisa leva a outras conclusões, além daquelas já detectadas, de que a doença tem fatores hereditários e é incurável. Segundo eles, em vários momentos a transição epitelial – mesenquimal (ou MET), que é a variante do gene, foi associada ao autismo. Ela controla a expressão da proteína Met no sistema imunológico e prevê alteração de função na estrutura cerebral.

“Nossa pesquisa mostra que crianças com o genótipo específico e exposição a níveis elevados de poluentes atmosféricos estavam em maior risco de transtorno do espectro do autismo quando comparadas àquelas sem este genótipo e menos expostas à poluição do ar”, informou em comunicado, Heather E. Volk, da USC, e um dos principais autores do estudo.

Daniel B. Campbell, da USC, coordenador do estudo, afirmou: “Apesar de interações gene-ambientais, acredita-se que a poluição contribui para o risco do autismo. Esta é a primeira demonstração de uma interação específica entre um fator genético bem estabelecido e um fator ambiental que contribuem de forma independente, para o risco da doença”.

Segundo ele, tal constatação será importante para determinar os mecanismos pelos quais os fatores genéticos e ambientais interagem para aumentar o risco do autismo.

A pesquisa, liderada por Campbell e Volk, analisou 408 crianças, entre dois e cinco anos, contra os riscos genéticos de autismo na infância, que toma como base populacional indivíduos em idade pré-escolar, na Califórnia. Destes, 252 preencheram os critérios para o autismo ou ASD, através do genótipo MET, que foi determinado por meio de amostras de sangue. A exposição à poluição do ar foi determinada com base no local onde as crianças e seus familiares viveram anteriormente, além de avaliar critérios como o tráfego local e medidas regionais de qualidade do ar.

(c)2013. IBTimes

Xbox One chega ao mercado brasileiro

em Mundo/Negócios/Tecnologia e Ciência por

Lançado oficialmente no país em novembro deste ano, o Xbox One, videogame produzido pela Microsoft, parece já ter caído no gosto do público. A nova geração do aparelho apresenta jogos com gráficos de alta definição superiores aos vistos em seu antecessor (Xbox 360) e similares aos concorrentes PlayStation 4 e Nintendo Wii U.

A terceira geração chega ao mercado oito anos após o lançamento do Xbox 360. Nos EUA foi apresentado ao público em maio deste ano, pelo presidente de negócios de entretenimento interativo da Microsoft, Don Mattrick. Vale ressaltar que o console não tem retro compatibilidade com seu antecessor, mas roda jogos usados.

Outra vantagem é que não é mais necessário conectar o aparelho na internet ou realizar uma checagem online a cada 24 horas. A partir de agora, basta configurar o console na primeira vez de uso. Os jogos digitais e em caixa funcionam totalmente off-line.

O Xbox One tem 500 GB de armazenamento interno, leitor de blu-ray e uma nova versão do sensor de movimentos Kinect. A Microsoft quer que o novo videogame se torne a central multimídia dos jogadores. Para isso, o aparelho vem com entrada HDMI para o conversor de TV a cabo ou set-top-box. Assim é possível controlá-lo por sua interface.

Outra funcionalidade é o modo “snap”, que divide a tela do jogador e permite que execute duas tarefas simultaneamente. Caso o usuário não saiba o que fazer em um game, por exemplo, é possível abrir o YouTube no “snap” e procurar por um tutorial de ajuda.  No país está sendo vendido por R$ 2,3 mil.

Nos Estados Unidos, o jogador pode usar comandos de voz para mudar os canais de TV e ver a programação de sua operadora, por exemplo. No Brasil ainda não há previsão de chegada deste serviço.

Com mais de um ano de defasagem, a Nintendo também lançou seu videogame no Brasil. O Wii U custa R$ 1,9 mil. No mesmo período, a Sony manteve sua agenda de lançamentos, e trouxe oficialmente ao país o PlayStation 4, por R$ 4 mil.

Rumores

Há especulação nos Estados Unidos de que a Microsoft está trabalhando duro para promover o videogame, por estar enfrentando algumas mudanças inesperadas. Segundo CVG News informou recentemente, o CEO da empresa, Steve Ballmer, pretende se aposentar e, em decorrência disso, foi forçado a defender o Xbox como um produto rentável para a corporação.

(c)2013, IBTimes

O dia em que Obama poderia ter sido assassinado

em Mundo/Política por

Amado por uns, odiado por outros, Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, poderia estar…morto. Isso mesmo! De acordo com o Serviço Secreto dos EUA, o órgão prendeu Elwyn Nels Fossedal, de 81 anos, no Estado de Wisconsin, por supostamente ter feito ameaças de querer matar o presidente americano em uma estação dos correios, em Richland Center.

A acusação contra o homem de 81 anos tem como base documentos judiciais federais divulgados. Conforme um depoimento, Fossedal estava na estação de correios em Richland Center e teria dito algo como: “Se o presidente Obama estivesse aqui, eu iria atirar nele e matá-lo agora”. Fossedal foi interrogado por agentes do Serviço Secreto, que disse que não iria se retratar e repetiu as ameaças, no entanto, usando palavras diferentes, além de fazer várias ameaças adicionais ao presidente Obama.

Durante a investigação, as autoridades federais descobriram que a esposa do acusado, que tinha 57 anos, morreu recentemente e os investigadores acreditam que ele estava substituindo a sua dor da perda com a raiva. Um agente do Serviço Secreto, que escreveu o depoimento, disse que “essa é a provável causa para acreditar que Fossedal foi conscientemente ameaçar o presidente dos Estados Unidos”.

O acusado foi levado ao tribunal federal e em apenas 15 minutos o mandato de prisão foi expedido. De acordo com o Smoking Gun, Fossedal faz parte do movimento que diz que Obama não nasceu nos EUA e descobriu também que ele é fã de uma rádio conservadora que pede que Obama seja acusado sobre o Affordable Care Act.

© 2013, IBTimes

Newsweek volta a ser impressa em 2014

em Mundo/Negócios por

A revista Newsweek, um ícone norte-americano que deixou de ser publicada no ano passado, voltará a ter edições impressas a partir de 2014. O editor-chefe Jim Impoco diz que os donos da revista, IBT Media, querem “apertar o botão de reset” e passar para um modelo de negócio em que uma revista impressa semanal seria apoiado, principalmente pelo dinheiro das assinaturas ao invés de publicidade. 

Ainda não foi decidido qual vai ser o preço de venda da revista, mas espera-se que seja inferior a 10 doláres por edição. A revista vai estar inserida no mercado de produtos premium e incluirá artigos não oferecidos no site. A revista on-line foi vendida para a IBT que possui publicações on-line, incluindo International Business Times, Medical Daily and Latin Times. O The São Paulo Times conta, desde a sua fundação, com a publicação de matérias da Newsweek. 

© 2013, The São Paulo Times

O Google Glass deve cair no gosto popular?

em Mundo/Negócios/Tecnologia e Ciência por

Espera-se que em 2014 seja feito o lançamento do Google Glass, porém o programa Glass Explorers já permitiu a muitas pessoas experimentarem os óculos inteligentes – dispositivo que permite afinar a versão beta do gadget do Google. Recentemente, a lista de espera do programa abandonou a exclusividade e foi ampliada a todos os interessados e as reações têm sido variadas.

Um relatório recente da BI Intelligence tem uma previsão bastante otimista. “Nós esperamos que as vendas unitárias cresçam, ano após ano, a partir do seu lançamento oficial até chegar a 21 milhões de unidades a serem vendidas até o final do ano de 2018. Sendo US$500 por unidade, geraria uma oportunidade de receita anual de US$10,5 bilhões”.

O relatório lista o preço do Google Glass, mais juros e barreiras culturais, como fator-chave na determinação do mercado para o dispositivo futurista. O preço atual dos óculos é fixado em US$1.500. Caso o produto tenha esse custo alto, acredita-se que as grandes massas não irão correr para adquiri-lo, visto que, rumores surgiram alegando que o Google Glass irá custar 299 dólares no seu lançamento, embora tenham sido rapidamente desmascarados.

Não há nenhuma palavra oficial ainda sobre o preço oficial, mas Nick Bilton, do New York Times, informou que o custo do gadget vai estar similar ao de um smartphone – entre US$250 e US$600. Seja como for, o preço do Google Glass deve ser fator determinante para o dispositivo fazer ou não sucesso com o público em geral. Caso, o custo atual não seja reduzido significativamente de US$1.500, acredita-se que será improvável que ele faça sucesso.

Para isso, atribui-se o interesse do Google Glass atingir a popularidade ao desenvolvedor do produto. Uma vez que as apps são sucesso nas massas, vide como exemplos o Angry Birds, Snapchat, Vine, entre tantos outros. Se os desenvolveres do Glass criarem aplicativos que caia no gosto popular como o Instagram, vão estimular um maior interesse dos consumidores.

O Google acaba de lançar o GDK, ferramenta para os desenvolvedores interessados. Enquanto qualquer um pode usá-lo, o GDK não tem um emulador para permitir testes sem que possuam gadget. Ainda assim, isso garante que até o momento o dispositivo vai abrigar muitas aplicações. Na verdade, o Google já criou novos aplicativos. O último fator que deve determinar o sucesso do Google Glass, segundo o relatório da BI Intelligence, são as barreiras culturais, cuja aceitação social seria fundamental no desenvolvimento de um dispositivo para a população. Quando o dispositivo foi introduzido pela primeira vez, preocupações com privacidade surgiram na internet. A proibição em locais públicos como cassinos e salas de cinema foram quase que imediatamente postas em prática. Burburinho este, em torno do Google Glass que desde então diminuíram.

Agora que o público está mais familiarizado com as suas funções, outros temas estão sendo trazidos à tona. Usar o Google Glass e dirigir pode trazer perigo? O Google confirma que lançará fones de ouvido, que podem acomodar lentes com grau. Como o projeto vem sendo recentemente atualizado com suas capacidades revolucionárias, o gadget sempre aparece em discussão.

A data do lançamento do Google Glass se aproxima e, em breve,todos nós teremos a resposta para a seguinte pergunta: “Será que as massas vão adotar o Google Glass? Ainda não se sabe, são meras especulações, no entanto, espera-se que venha modernizar a forma de interação social”. 

(c)2013, IBTimes

Dispositivo pode detectar doenças mortais

em Mundo por

Longe dos grandes recursos tecnológicos que as sociedades mais ricas e desenvolvidas dispõem na detecção de doenças, algumas das cidades mais pobres do mundo brevemente poderão ter uma forma de diagnosticar rapidamente, as enfermidades em  suas populações, onde há escassez de recursos.

Trata-se do Gene-RADAR, dispositivo capaz de detectar doenças mortais como HIV/Aids e tuberculose, com uma gota de sangue ou saliva, em menos de uma hora. De acordo com a sua criadora Dra. Anita Goel, em entrevista à Newsweek, o aparelho já está pronto e deve ser levado à África, onde será testado em campo.

O Gene-RADAR que recentemente saiu dos laboratórios da Nanobiosym, tecnologia de uma incubadora em Cambridge (localizada em Massachusetts, nos EUA), usa um chip de computador para analisar os fluidos corporais para faixas específicas do código genético que podem mostrar a presença de uma infecção.

Em seguida, o software do dispositivo analisa os dados fornecendo um diagnóstico perfeito quase que instantaneamente. Por ser fácil de usar, o Gene-RADAR, não necessita de treinamento médico para sua operação. “E isso vai custar muito menos do que os testes de laboratórios convencionais”, afirma Goel.

Vale dizer que, a rápida recuperação de uma amostra para diagnóstico é especialmente importante em países como Ruanda, na África, onde a maioria dos testes realizados são menos eficazes. No entanto, de acordo com Goel, esses “testes rápidos” ainda necessitam de confirmação final de um laboratório, e acrescenta: “nesses países que têm tão poucas instalações médicas, o processo pode levar até seis meses”.

“O que estamos fazendo é trazer essa capacidade padrão ouro fora de uma infraestrutura de laboratório em um dispositivo móvel. A ideia é realmente capacitar as pessoas a assumir o controle sobre sua própria saúde e a gerenciá-la de forma oportuna”, diz Goel.

Outras aplicações 

Para a criadora do Gene-RADAR, o dispositivo não só tem implicações para os cerca de 4 bilhões de pessoas que não têm acesso a cuidados básicos de saúde, como também, em algum momento, poderia ser adaptado para realizar a triagem em casa, otimizando custos gerais de saúde. Por exemplo, pais preocupados poderiam usá-lo para testar se a febre alta do filho é de um frio ou se é algo muito pior, antes de procurar tratamento médico em uma sala de emergência do hospital.

O Gene-RADAR e dispositivos semelhantes também têm um enorme potencial de prevenção, declara a Dra. Sara Brenner, que atua como vice-presidente assistente para iniciativas NanoHealth e é professora assistente de Nanobioscience, na Universidade Estadual de Nova York (localizada em Albany, nos EUA).

(c) 2013, Newsweek

Luto: o mundo dá Adeus a Nelson Mandela

em Mundo/Política por

Por Maíra Hirose

No dia 05 de dezembro, o mundo se despediu do ex-presidente sul-africano Nelson Rolihlahla Mandela, que faleceu aos 95 anos, em sua residência em Johannesburgo. Ele, que deixou o hospital em setembro deste ano, após passar 87 dias internado para tratar uma infecção recorrente nos pulmões, estava em casa e morreu ao lado de familiares.

A notícia provocou comoção mundial, principalmente no povo sul-africano, que foi às ruas para prestar a última homenagem ao Mandela. Ele se tornou figura de destaque em todo o mundo pelo impacto de sua trajetória política e humanitária, que lhe rendeu o Prêmio Nobel da Paz em 1993.

Mandiba, como era conhecido, foi um dos principais nomes na luta contra o Apartheid – sistema de segregação racial que perdurou na África do Sul até 1992. Causa que o fez ser mantido preso por 27 anos (de 1964 a 1990), sob acusação de conspiração contra o governo sul-africano.

O grande marco de sua história e do povo sul-africano aconteceu em 1993, quando Mandela se tornou o primeiro negro e também o homem mais velho a assumir a presidência do país, na primeira eleição multirracial da África do Sul. E o mais impressionante é que a transição para a democracia sob sua liderança se deu de modo expressivamente ordeiro, algo considerado por muitos “impossível”.

Considerado como “o homem que uniu uma nação”, é inegável o exemplo que Mandela deu ao mundo. Ele foi bem-sucedido em um ponto no qual muitos falharam, visto que como político e presidente, ele uniu seu país e apesar da raiva acumulada ao longo de anos por uma maioria negra, nenhuma guerra civil foi iniciada.

 Alguns dos legados de Mandela 

“Educação é a arma mais poderosa que podemos usar para mudar o mundo”

“O que conta na vida não é mero dado de que estamos vivos. A diferença que fazemos na vida dos outros é que irá determinar o significado da vida que levamos”

“Eu aprendi que coragem não vem em um momento de ausência do medo, mas no triunfo sobre ele. Um bravo homem não é aquele que não sente medo, mas aquele que o controla”

“Em meu país, nós vamos para a prisão primeiro e depois nos tornamos presidente”

“Uma boa caneta pode nos fazer lembrar de momentos felizes em nossas vidas, trazer idéias nobres em nossas covas, nosso sangue e nossas almas. Ela pode transformar tragédia em esperança e vitória”

O Mandela pelas autoridades mundiais 

“O exemplo deste grande líder guiará todos aqueles que lutam pela justiça social e pela paz no mundo” – Presidente Dilma Rousseff

“Madiba foi uma figura singular no cenário global, um gigante da justiça e uma fonte humana de inspiração” – Ban-Ki-Moon, Secretário Geral da ONU

“Mandela não pertence a nós, pertence à história. Eu sou um dos milhões que se inspiraram nele” – Barack Obama, Presidente dos EUA

“Imensa angústia e profunda tristeza pelo falecimento de um dos maiores filhos da nossa gente” – Thabo Mbeki, ex-presidente da África do Sul

 “Ele era um grande pacificador, um homem especial nesse sentido” – Frederik Willem De Klerk, último presidente da África do Sul durante o Apartheid

© 2013, The São Paulo Times.

Ataques MITM podem sequestrar a sua internet

em Mundo/Política/Tecnologia e Ciência por

Apesar dos avanços tecnológicos, cotidianamente, se vêem ou ouvem histórias de ataques de hackers. Até os sites mais seguros não estão imunes a eles. Por exemplo, um simples acesso, que pode ser de apenas alguns minutos, para se ler notícias, verificar o Facebook, realização de serviços bancários online, transferências de fundos para contas diferenciadas, pagamento com cartão de crédito ou de contas se serviços públicos, pode “abrir portas” para que alguém intercepte seus dados.

Recentemente, um grupo de Internet publicou um relatório no qual se verificou um “aumento de seqüestro na rota com redirecionamento de tráfego”, conhecido popularmente como ataques “Man-in-the-Middle” (MITM) ou interceptador de comunicação. Como ele funciona? Simples, basta alguém abrir uma página web para ter seus dados enviados através de um servidor ISP para o servidor host do site, chamando o site para exibição.

Na verdade, um ataque MITM interpõe um terceiro computador entre o servidor do ISP e do servidor host do site , filtrando as informações entre os dois. E detalhe, o computador “Man-in-the-Middle” pode fazer uma série de coisas com essas informações, como, por exemplo, ele pode apenas roçar a informação, ler e fazer o download dos dados para a coleta de inteligência; ele pode sequestrar o tráfego e enviá-lo para o outro lado do mundo em Moscou antes de enviá-lo de volta; ele pode interromper o tráfego e substituir o site solicitado com um de seu próprio gosto.

As implicações desta pode ser menor ou grande, variando muito, indo desde o redirecionamento do usuário para um anúncio do site ou redirecionamento para um site de banco falso, com um layout idêntico ao site do banco solicitado. Mas esses hackers não podem ser os únicos que realmente preocupam. A Agência de Segurança Nacional (NSA) também tem usado ataques MITM para monitorar os cidadãos e interesses estrangeiros.

No início de setembro, foi relatado que a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, foi alvo da NSA, algo que o governo brasileiro não ficou satisfeito e que repercutiu no mundo inteiro. Em outubro, foi revelado que a o NSA interceptou a comunicação dos usuários anônimos da rede TOR também. Utilizando uma falha de segurança no Firefox, da Mozilla, a NSA era capaz de infectar usuários do TOR através de um sistema chamado FoxAcid, permitindo a espionagem sobre os usuários “anonymous”. Tudo isso foi possível por meio de ataques MITM sofisticados e parcerias com empresas de telecomunicações.

Enquanto parcerias com empresas como a Verizon foram documentadas, a NSA e a GCHQ equivalente do Reino Unido estão usando mesmo ataques MITM contra grandes empresas como Google, “o Ministério francês dos Negócios Estrangeiros e SWIFT, uma cooperativa financeira que conecta milhares de bancos e é suposto ajudar a segurança, facilitando as transações bancárias feitas entre mais de 200 países”, de acordo com Renesys.

A solução simples para bloquear esses ataques MITM é através de protocolos criptográficos, como Transport Layer Security e Secure Sockets Layer. TLS e SSL tornaram-se protocolos onipresentes em toda a Internet, na forma do https prefixo site. Mas a maioria dos sites públicos renunciam a segurança extra, devido a taxas de licenciamento e tempo de download. Embora os campos de login na maioria dos sites bancários estão garantidos com https, algumas outras páginas que não possuem ainda são inseguras.

No entanto, métodos como FoxAcid contornam os protocolos TLS / SSL e permitem que a NSA mantenham a coleta de informações de dentro das sombras. No entanto, de acordo com o relatório Renesys, há uma certeza para saber sobre esses ataques. Mais transparência. De acordo com o relatório, é difícil fazer este tipo de seqüestro, sem deixar pegadas visíveis permanentes no encaminhamento global. “Ele diz que esses ataques ainda estão acontecendo porque a maioria dos autores acreditam que os ataques MITM não são foco de investigação, e agora isso é verdade”.

© 2013, IBTimes

Voltar p/ Capa