O aplicativo da cidadania

em Brasil/News & Trends por

Um aplicativo desenvolvido no Brasil promete oferecer uma ferramenta simples ao cidadão para que ele possa apontar problemas de sua cidade e ser ouvido pela gestão pública.

Essa é a proposta do QZela, aplicativo para celular criado pelo engenheiro e empresário Roberto Badra Sallum, e pelo engenheiro de sistemas e tecnologia Edson Rocha.

“Com o QZela, o cidadão será o protagonista da revolução na gestão pública dos municípios”, afirma Badra, CEO da companhia. Ele explica que, por meio de inteligência artificial, o aplicativo processa uma grande quantidade de dados e informações, viabilizando assim a gestão de zeladoria pública com a interação da população na fiscalização dos problemas e suas soluções.

Para o usuário, o QZela oferece recursos semelhantes aos aplicativos de trânsito. Porém, em vez de apontar problemas de engarrafamento, acidentes ou um carro no acostamento, poderão ser indicados problemas de zeladoria urbana que o próprio cidadão identificar na rua, bairro ou cidade.

Facilidade

O QZela tem uma lista de mais de 400 problemas que poderão ser apontados pelo usuário. Buracos na via, problemas de sinalização, iluminação ou má conservação de praças, parques, terrenos baldios, mobiliários urbanos, irregularidades nas calçadas, vazamentos e infestações estão entre as várias categorias de problemas que podem ser reportados.

O cidadão ainda pode acompanhar a solução e, ele próprio, fechar a ocorrência quando resolvido o problema. “É muito fácil de usar”, diz Rocha, CIO da empresa. “E o resultado será gigantesco.”

A partir de uma tela com um mapa das ruas, o munícipe gera a ocorrência indicando a categoria e o problema. Em seguida, pode adicionar até três fotos, ou até um filme, dependendo do tipo de problema, e já verá um pin sinalizando o local indicado. Pode também fazer a busca de categoria por palavra – um facilitador do sistema. Por fim, se quiser, pode acrescentar um comentário antes de enviar a reclamação.

“Essa operação de registro e envio de uma reclamação não dura mais que 20 segundos”, afirma Edson Rocha. “O próprio munícipe pode fechar a reclamação, ao ver que ela foi resolvida.

“Todos ganham”

O princípio do QZela é o mesmo da nova economia colaborativa: ao resolver o seu problema, o munícipe estará resolvendo o da rua e da coletividade. Melhorando sua vida, contribui para melhorar toda a cidade.

Do seu lado, as concessionárias e prestadoras de serviços públicos poderão acessar relatórios atualizados em tempo real com os problemas identificados na sua área por meio do QZela. Essa inteligência permitirá a redução de custos operacionais e um melhor atendimento.

Governantes e os gestores públicos, por sua vez, poderão quantificar melhor os problemas e supervisionar a ação das concessionárias. Com isso, o QZela é também um recurso de gestão que utiliza as informações do munícipe para melhorar a eficiência do serviço público e dar ao cidadão o retorno desejado.

Com as indicações do usuário, o aplicativo será ainda um grande banco de dados sobre os problemas indicados nos municípios de todo o país. A prestadora de serviços pode utilizar a própria confirmação da ocorrência aberta pelo munícipe para gerar uma ordem de serviço e administrar melhor o atendimento.

“É um sistema em que todos ganham”, afirma Roberto Badra. “O munícipe, porque terá uma vida melhor. A prestadora de serviços, porque poderá refinar seu planejamento e realizar uma gestão que lhe permitirá reduzir custos e trabalhar de forma mais eficiente. E o poder público, porque terá uma ferramenta para reduzir gastos e controlar melhor os seus resultados.”

Credibilidade

Idealizado como uma solução voltada para a cidadania, o QZela pode ser um instrumento popular de reclamação para a solução de problemas urbanos. “Não existe diferença entre quem pode usar, é um aplicativo para todos”, afirma Rocha.

Para estimular o uso correto do aplicativo, o QZela vai adotar um sistema de pontuação que registra as interações de cada usuário. Com isso, o próprio munícipe acumulará pontos conforme a assiduidade e a credibilidade das informações reportadas. O usuário com alta pontuação terá suas informações aceitas pela checagem com mais rapidez.

Da mesma forma, o mau uso do aplicativo, com informações erradas, por exemplo, pode reduzir a pontuação e a credibilidade do usuário, que poderá ter suas ocorrências eliminadas.

Para os idealizadores do QZela, o segredo é o engajamento do cidadão. “A participação de todos é essencial”, afirma Badra. “Hoje, a população está muito consciente de que a atuação de cada um é importante para a coletividade, e o QZela permite que a ação de cada um vá se refletir num grande avanço da qualidade de vida para todos.”

loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*