-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-

Sem banana

em Cássio Zanatta/News & Trends por

– Sua salada de frutas, senhor.

– Obrigado, que mara… mas péra aí: cadê a banana?

– Como, senhor?

– A banana, não tem banana? Estou vendo algumas frutas aqui (aliás, não muitas), mas não estou vendo banana.

 

– Acredito que nossa salada de frutas não leva banana.

– Pois eu que não acredito! Então vocês poderiam chamar de outro nome: “Amostra de Frutas”, “Breve Mostruário de Frutas”, “Impressão de Frutas”. Mas, sem banana, não temos uma salada de frutas.

– Lamento, mas…

– Aqui temos mamão, laranja, pera. Veja bem: uma salada de frutas pode perfeitamente passar sem pera. Mesmo estes seis pedacinhos de melão, são dispensáveis. Melão já teve mais gosto, não sei o que fizeram, hoje é essa coisa branquela com gosto de água. E o morango: antes era pequeno, saboroso. Agora deram uma bombada e, o que ganhou em tamanho, perdeu em perfume e sabor. Em todo caso, é preciso que haja banana.

– Mas há quem…

– Há quem não goste de Beatles, cavalheiro. Há quem odeie praia. Quem palite os dentes em público. Quem torça contra o Brasil na Copa. Há de tudo, até quem negue a banana onde ela é imprescindível.

– Eu posso pedir para o rapaz da cozinha…

– Ótimo. Eu agradeço. Por favor, me traga uma salada de frutas que honre o nome: com manga, abacaxi, uva, maçã, e vai lá, melão. Mas não pode esquecer a banana. Em rodelas generosas, que dão encanto à coisa toda.

– Com banana. Pra já.

*     *     *

– Prontinho.

– Agora sim. Salada de frutas como tem que ser: com… Mas péra aí: banana ouro?

– Não saberia dizer, senhor.

– É banana ouro. Me diga se, com esse amarelo mais escuro, essa textura, essa sem-gracice, vai ornar com a maçã e a manga.

– Não entendo de banana, senhor.

– Estou vendo. Tenha dó. Eu bem desconfiei: a salada de fruta veio pela segunda vez com uma ridícula folha de hortelã pendurada. Me diga o que faz hortelã na salada de fruta. No mais, a banana podia ser prata, podia ser da terra, podia ser nanica. Mas não. É banana ouro. Francamente. Vocês estão de brincadeira e eu não sou palhaço. Com licença.

Levantou-se e saiu do restaurante batendo pé. O gerente ainda tentou um salamaleques. Mas ele nem se dignou a ouvir, a esperar, a pagar. O cliente ao lado no balcão pensou em adotar a salada de fruta enjeitada.

Na porta, parou, virou-se com a expressão mais ofendida e mandou – ela mesmo – uma gloriosa banana para o garçom.

OK, é um final óbvio e idiota, mas não me ocorreu outro.

 

 

loading...
Tags:

Comentários no Facebook

Últimos de Cássio Zanatta

Por você

Por você eu largaria os vícios, deixaria essa preguiça aperfeiçoada por décadas,

Vou morar aqui

Será preciso combinar com Beatriz, claro. Pesar as coisas, contornar os contras
Voltar p/ Capa