Startup brasileira cria App com tecnologia inédita para orientar pessoas com deficiência visual

em Brasil/News & Trends/Tecnologia e Ciência por

É do Brasil uma solução inovadora e gratuita que usa a tecnologia para facilitar a acessibilidade de pessoas com deficiências visuais ou com dificuldades de orientação. O App Veever é uma iniciativa inédita em todo mundo e criada por brasileiros.

A partir de dispositivos instalados em locais públicos, lojas e empresas em geral, o aplicativo mobile reconhece a proximidade de determinados pontos previamente cadastrados e emite comandos de voz que direcionam e informam usuários cegos ou com baixa visão. Na prática, mais de 6 milhões de brasileiros passam a ter um ferramenta gratuita que proporciona maior autonomia e segurança para usar o transporte público, frequentar atrações culturais e circular nas ruas de maneira geral. O Veever já está disponível para download, mas ainda depende da aderência de organizações públicas e privadas para maior abrangência de espaços inclusivos e não está em pleno funcionamento.

O modelo é inovador porque funciona a partir da comunicação do App com pequenos dispositivos, chamados beacons, que são instalados no objeto que se pretende descrever, seja para fins de localização ou informação sobre o local. Cada beacon possui um texto descritivo que é acionado com a proximidade do aparelho celular com aplicativo em funcionamento. Assim, gratuitamente o usuário tem mais facilidade para se deslocar e frequentar atrações culturais como museus, exposições e praças públicas, fazer compras em shoppings, lojas e mercados. “O aparelho pode descrever uma obra de arte, oferecer informações de localização dentro de um shopping ou avisar sobre a chegada de uma linha de ônibus específica. Enfim, podem enriquecer e facilitar qualquer experiência humana”, comenta João Pedro Novochadlo um dos idealizadores do App.

A maior novidade oferecida pela tecnologia é a possibilidade de ir e vir sem depender do auxílio de terceiros – seja offline ou online: esses pequenos aparelhos oferecem uma precisão centimétrica e não dependem de internet para funcionar. “Nossa proposta não é substituir recursos que já funcionam e auxiliam os cegos e outras pessoas com baixa visão, mas sim agregar ainda mais liberdade e inclusão”, comenta Novochadlo.

O desafio dos criadores do Veever é convencer a iniciativa privada e o poder público para que adotem a tecnologia em suas dependências. “Quanto mais locais adotarem a ideia, mais rica e fácil será a vida da pessoa com deficiência visual e assim cumprimos nosso propósito maior, que é incluir ainda mais essas pessoas na dinâmica da convivência social”, conclui. O primeiro local a receber a tecnologia será o Centro Estadual de Capacitação em Artes Guido Viaro, onde a tecnologia será testada por alunos cegos do projeto “Ver com as Mãos” durante o mês de junho. A startup também já negocia a instalação em um centro comercial e no transporte público de uma metrópole brasileira. Gestores interessados na solução podem procurar a Veever para implementar a novidade e tornar espaços públicos e provados mais acessíveis à população com esse tipo de dificuldade.

Tecnologia e propósito

A ideia surgiu da vivência que um dos cofundadores, João Novochadlo, teve como voluntário do Instituto Paranaense dos Cegos. Conhecendo a realidade e os desafios enfrentados no Brasil, os empreendedores decidiram criar uma solução de brasileiros para brasileiros. “A comunidade PCD brasileira precisa de soluções de quem conhece nosso contexto, os obstáculos para mobilidade urbana que impõem barreiras para inclusão social. E nós, brasileiros, temos conhecimento e propriedade técnica para encontrar o caminho para mudar nossa própria realidade”, afirma João Novochadlo. O Veever também foi apresentado a membros de empresas e principais instituições de ensino norte-americanas, como MIT e Harvard, universidades que realizaram uma competição de startups na qual o Veever foi uma das 40 mais bem posicionadas, dentre aproximadamente 500 empresas iniciais.

Sobre o Veever

O Veever é uma startup curitibana fundada durante a Hackathon da Prefeitura de Curitiba e vencedora da competição. Com objetivo de solucionar os problemas que pessoas com deficiências visuais ou com dificuldades de orientação têm ao se locomoverem através das cidades, criou uma solução que consiste na combinação de um aplicativo mobile gratuito para celulares com a infraestrutura de pequenos dispositivos nos ambientes públicos e privados. O App funciona como um assistente virtual de voz, que permite maior interação do usuário com o ambiente urbano. São sócios do projeto o engenheiro João Guilherme Mansur Baglioli, o publicitário João Pedro de Goes Novochadlo, o médico e desenvolvedor de softwares Leonardo Garcia Custódio e o Engenheiro de Software Lohann Paterno Coutinho Ferreira.

 

Saiba mais em: www.veever.com.br

loading...

O The São Paulo Times® traz matérias e notícias, além de identificar tendências por meio de uma equipe de jornalistas e colunistas especializados em diversos assuntos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

*