Vermes-tubo conhecidos por fanworms, ameaçam a vida aquática na Nova Zelândia

em Mundo/News & Trends por
Foto: Wikimedia
Foto: Wikimedia

Especialistas marinhos de Auckland, Nova Zelândia, estão lutando contra a propagação de vermes-tubo (ou fanworm) do Mediterrâneo, os quais se reproduzem rapidamente, com uma nova arma. A solução é um banho de descontaminação com cloro utilizado para absorver os cascos de embarcações para reduzir a propagação da praga aquática.

“Eles são semelhantes às minhocas. Se você os corta em pedaços, eles podem voltar a crescer por uma extremidade da cabeça ou pela cauda”, diz Irene Middleton, oficial de biossegurança aquática do Conselho Regional Northland.

O fanworm Mediterrâneo é um animal marinho tipicamente encontrado em locais com profundidade de 1 a 30 metros, de acordo com o site de biossegurança do Ministério de Indústrias Primárias da Nova Zelândia.

O fanworm consiste em um tubo sempre ancorado a uma superfície dura, coberto com uma única cauda em espiral chamada radiole. A cauda é branca, com faixas marrom e laranja.

O tubo é resistente e flexível, pode abrigar outros organismos que crescem na superfície e cresce até 40 centímetros. Os fanworms podem formar grupos densos que competem com as espécies nativas por alimento e espaço.

“Estudos recentes têm indicado algum impacto em novas gerações de algumas espécies e no fluxo de nutrientes. Enquanto eles ainda não são registrados em relação a um impacto significativo sobre a pesca, há a possibilidade deles se tornarem um incômodo para os pescadores recreativos e comerciais por entupirem diversos orifícios de embarcações usadas na pesca”, explica uma nota do Ministério de Indústrias Primárias.

“O fanworm ama este lugar! Assim, nas águas mornas do norte da Nova Zelândia, ele cresce rapidamente como nunca visto antes”, diz Don McKenzie, líder da equipe de biossegurança do Conselho Regional Northland.

A maioria das marinas de Auckland está contaminada, mas o porto de Lyttelton mantém a praga sob controle.

As mesmas espécies de pragas marinhas também foram encontradas na Austrália, onde são chamadas de fanworm Europeia.

Na Austrália, o fanworm europeu foi descoberto pela primeira vez na Austrália Ocidental, em 1965, de acordo com o Departamento de Indústrias Primárias de New South Wales. As espécies marinhas já foram registradas em Victoria, South Australia, Tasmania e New South Wales.

Já em New South Wales, o fanworm foi descoberto pela primeira vez em Snug Cove, em Twofold Bay, em Novembro de 1996. Desde então, o monitoramento do Departamento de Indústrias Primárias de New South Wales documentou oscilações no tamanho da população de pragas ao longo de muitos anos, e encontrou em 2013 o mesmo número de fanworms registrados em 2005.

© 2014, IBTimes.

loading...
Tags:

Comentários no Facebook