Connect with us

Apenas 10,6% dos gastos públicos são direcionados à juventude no Brasil

Published

on

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Os países da América Latina investiram cerca de 21,2% do PIB regional em gastos sociais em 2012. No entanto, desse total, apenas 12,2% foram direta ou indiretamente destinados para os jovens da região, de acordo com o relatório “Investir para transformar”, produzido em conjunto pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e a Organização Ibero-Americana da Juventude (OIJ).

estudo identificou que três a cada dez pessoas na América Latina são jovens. Além disso, reforçou que é fundamental que os governos dos países invistam os gastos públicos de forma mais equilibrada em relação às áreas sociais e os grupos etários.

A maior parte da despesa pública da região vai para educação, seguida por uma porcentagem bem menor para saúde e assistência social.

O Brasil está entre os países que apresenta um deficit de 50% da participação da juventude nos gastos públicos em relação a outros grupos etários, considerando principalmente o seu peso demográfico. A incidência total de gastos sociais na juventude brasileira é de 10,6%.

Em geral, a maior parte deste investimento é destinado à educação (62,9%). Já em saúde o gasto é de apenas 13,9%, em assistência social 3,3% e em habitação e outros, 19,9%. Segundo o relatório, a maior parte destes recursos é distribuído aos jovens através de programas do governo brasileiro, como o Bolsa Família, o PETI e o ProJovem.

Advertisement

Além disso, o relatório alertou que a incidência de pobreza entre os jovens com idades entre 15 e 29 anos no Brasil é de 19%, correspondendo a 9 milhões de jovens.

No geral, a América Latina tem 23,8% dos jovens em situação de pobreza, cerca de 35,4 milhões de jovens.

Para ter acesso ao relatório “Investir para transformar”, na versão em espanhol, clique aqui.

Advertisement

Continue Reading
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Copyright © 2023 The São Paulo Times