Chega ao Brasil o método colombiano de combate à calvície

Published

on

Foto: WIkimedia

Tratamentos sem hormônios usam drogas cientificamente comprovadas e programas personalizados de nutrição.

Com 24 clínicas em sete países da América Latina lastreando ao seu método, o médico dermatologista Giovanni Bojanini aterrisa no País. E coloca sua assinatura na primeira unidade de tratamento dedicada ao combate à calvície. O seu qg fica no bairro do Sumaré (SP), na avenida Dr Arnaldo, e tem a Igreja Nossa Senhora de Fátima como vizinha guardiã. Bojanini tem 46 anos e mais cabelos do que aos 28, quando sua cabeça “parecia uma bola de bilhar”, como gosta de dizer. Começou a pesquisar soluções que resgatassem sua cabeleira por insistência da mulher e durante um ano foi cobaia de produtos que, se de um lado estimulavam algum aumento dos fios, de outro provocavam terríveis efeitos colaterais. Foi por meio de muita pesquisa que chegou ao patamar de conhecimento que hoje detém: um tratamento que resume um índice de eficácia muito alto para quem sofre com questões de calvície precoce ou que há tempos se amargura com ela.

O programa de reabilitação capilar de Bojanini, como tantas outras descobertas da Medicina, foi resultado de observação. O primeiro “clic” aconteceu com a leitura de um artigo de um médico asiático na internet. Depois, uniu seus conhecimentos em dermatologia com as inovações no segmento da tricologia – ciência que trata dos pelos. Aliou a expertise sobre doenças sistêmicas que se manifestam na pele com alguns medicamentos – drogas regulamentadas universalmente – e viu que os resultados positivos apareceram. Passou a prescrição a seus pacientes e, em três meses, formavam-se filas de interessados no seu consultório. Hoje, seus tratamentos reúnem substâncias como minoxidil, ácido retinoico e isotretioína, conhecida como Roacutan, também bastante utilizada para tratar problemas de acne. Somado a isso, um programa de nutrição adequado a cada caso.

A agenda cheia levou o médico a aprimorar as pesquisas e investir em laboratório próprio, trabalhando com um especialista colombiano na área, Filiberto Martelo. Atualmente conta com um centro diagnóstico sofisticado, um método autoral reconhecido cientificamente na América Latina e uma linha de produtos composta por mais de 40 loções, medicamentos magistrais e cinco xampus para tratar a alopecia. Pelo método Bojanini uma pessoa calva pode recuperar em até 30% a quantidade de fios em quantidade e espessura. Ainda que, lembra o especialista, cerca de 60% dos casos de calvície sejam atribuidos ao DNA de cada um.

O Centro de Dermatologia Giovanni Bojanini aporta no Brasil tendo como sócio o empresário José Eduardo Brandão e a supervisão técnica da médica dermatologista Lívia Bessa, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Esperamos o mesmo êxito no Brasil, onde investimos 1,5 milhão de dólares para iniciar a operação”, afirma Giovanni Bojanini. Os protocolos assinados pelo médico foram experimentados com êxito em seis países – México, onde possui 17 unidades, Colômbia, Panamá, Argentina, Equador e Espanha. Mais de 100 mil pacientes nos últimos anos, entre os quais o presidente colombiano Alvaro Uribe, saíram satisfeitos do tratamento. As unidades mexicanas encabeçam o ranking de atendimentos, com 120 casos por dia. Pessoas da Ásia e do Leste Europeu conheceram o método repassado em propaganda boca a boca e viraram habituês da operação espanhola. Um registro interessante: cerca de 30% da demanda da clínica provêm do público feminino.

Advertisement

A clínica de São Paulo, no bairro do Sumaré, na Avenida Dr. Arnaldo, 1887, é a primeira de muitas nas grandes cidades brasileiras. De acordo com o sócio José Eduardo Brandão, o centro dermatológico Giovanni Bojanini é pioneiro no gênero em inovação e casos de aderência às terapias – fator decisivo no sucesso do tratamento.

O centro vai oferecer os mesmos protocolos internacionais, não hormonais, da Colômbia, além de mesoterapia capilar e tratamentos para a pele, como botox e peeling. Sempre com o estudo completo de cada paciente.

“A novidade será o enxerto fio a fio que a maioria das mulheres daqui ainda não conhece. Diferentemente do implante feito por meio da retirada de uma faixa de cabelo do na altura da nuca, o método Bojanini, que usa o bulbo individual, é menos dolorido e sem cicatriz. E ainda proporciona rápida recuperação do paciente.”, complementa Brandão.

Advertisement

Trending

Sair da versão mobile