Connect with us

Da Bélgica para o mundo – a origem da batata frita

Published

on

Foto: Wikimedia

Foto: Wikimedia

Engana-se quem pensa que a menina dos olhos do fast food, a batata frita, é invenção dos Estados Unidos, já que o país é naturalmente associado ao consumo intenso da comida que garante rapidez e praticidade ao redor do mundo. A batata frita como conhecemos, das porções acompanhadas de catchup ou servida como acompanhamento de lanches e diversos pratos, é originária da Bélgica, país que inclusive está solicitando que sua mais famosa especialidade culinária seja reconhecida como patrimônio cultural imaterial da Unesco.

Embarcando no sucesso do produto, que há algum tempo é adorado também pelos brasileiros, a Belga Mix, rede de franquias que comercializa batatas fritas em cone, trouxe para o Brasil o conceito belga de elaboração do produto. No processo de preparo, a batata recebe um corte mais grosso e, mesmo após de ser frita, sua maciez e sabor são preservados. Todo esse cuidado se deve porque para os belgas a batata não é apenas um acompanhamento, ela recebe status de prato principal, algo similar ao nosso arroz e feijão.

A paixão pelo alimento na Bélgica é tão grande que o país abriga um museu dedicado apenas à batata frita. Além disso, para intensificar o pedido de reconhecimento da batata como uma invenção nacional, os belgas dedicaram uma semana à distribuição gratuita da especialidade pelos fritkots – estabelecimentos especializados em batata frita.

Para incrementar a comida típica do país, a Belga Mix contempla em seus cones de batatas fritas molhos tradicionais – maionese, catchup, mostarda, rosé, barbecue, tártaro, picles, mostarda com mel e maionese com azeitonas – e mais outros três especiais: cheddar, requeijão e queijo ralado. As porções são vendidas a partir de R$5, e podem variar de acordo com o tamanho e a quantidade de molhos de acompanhamento. A rede possui lojas no Estado de São Paulo e recentemente inaugurou sua primeira unidade em Salvador (BA).

Advertisement

Continue Reading
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Copyright © 2023 The São Paulo Times