Connect with us

Dente do siso: inflamação pode ter relação direta com infarto

Published

on

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A extração tardia dos dentes do siso, quando necessária, implica em grandes problemas de saúde na idade adulta, afetando tanto a estrutura bucal quanto o organismo. Se o dente estiver comprometido, com cárie ou machucado na gengiva, a área torna-se suscetível a várias infecções e, por isso, a urgência da remoção do “dente do juízo”. Esses agravantes causam febre, mal estar e podem até levar ao óbito.

“Grande parte dos pacientes acima de 50 anos muitas vezes não sabe da presença dos terceiros molares (dente do siso) em sua arcada dentária e é bastante comum ocorrer degeneração intraóssea e formação de pequenos focos de infecção, que podem comprometer a saúde de forma grave”, afirma o cirurgião bucomaxilofacial, Dr. José Flávio Torezan.

Um estudo nos Estados Unidos e Inglaterra mostrou que a presença de focos infecciosos na boca e maxilares está relacionada com o aumento da incidência de infarto do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais (AVC). Existem também tumores que podem estar associados ao dente do siso, decorrentes de cistos que se formam por conta de restos do órgão formador desse dente.
Mesmo com indicação para extração, muitas pessoas só procuram o cirurgião dentista no momento em que a base óssea foi afetada. Nessa ocasião, o especialista bucomaxilofacial é o responsável pelo procedimento de remoção, já que os dentes estão muito mais fixados no osso. “É importante ressaltar que as bactérias acumuladas na área do dente, que não está posicionado da forma correta e sem boa higienização, podem resultar na perda de outros dentes ao redor e comprometer a mordida do paciente, pelo pouco espaço da arcada maxilar”, diz Torezan.

Advertisement

Continue Reading
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Copyright © 2023 The São Paulo Times