Dr. Wen Tong, fellow da Huawei: novas teorias e modelos inspiraram revolucionária rede voltada para aplicações da Huawei

Published

on

SHENZHEN, China, 18 de dezembro de 2015 /PRNewswire/ — Dr. Wen Tong, fellow da Huawei, anunciou hoje que a revolucionária rede voltada para aplicações (ADN, Application-driven Network) foi inspirada por três modelos de consumo de informação que suportam diversas aplicações. O que torna a ADN é seu design de arquitetura de nível superior: as camadas da rede estão verticalmente integradas a partir do topo para baixo, e recursos otimizados de rede requeridos para aplicações são controlados e alocados de ponta a ponta.

Foto – http://photos.prnewswire.com/prnh/20151217/297144

“O ambiente no qual as redes evoluem está mudando drasticamente”, declarou o Dr. Wen. “Modelos de negócios e necessidades de usuário variam em diferentes estágios do desenvolvimento de rede. O The Future Network Theory Lab (Laboratório de Teoria de Rede Futura) dos Laboratórios 2012 da Huawei descobriu que cenários de comunicação diferentes concordam com modelos de consumo de informação e levam a tipos diferentes de arquitetura de rede. A Huawei prioriza aplicativos em evolução de rede. Ela desenvolveu o conceito de ADN e concluiu a análise de modelos de teoria de rede, bem como testes de arquitetura sob cenários típicos.”

De acordo com o Dr. Wen, os aplicativos são apoiados por três modelos de consumo de informação.

O primeiro é o modelo de distribuição Poisson, usando para comunicações de voz. Sob esse cenário, a maioria das durações e freqüências de ligação dos assinantes permanece em um valor médio. O modelo é adequado para arquitetura de rede hierárquica.

O segundo é o modelo de distribuição de princípio de potência, usado para comunicações via Internet. Sob esse cenário, a maioria dos usuários está conectada a nós da Internet. Esse modelo é uma adequação perfeita para a arquitetura de rede plana.

O terceiro é o modelo de processo Markov, usado para comunicações máquina-para-máquina (M2M, machine-to-machine). Na era M2M, as necessidades de aplicação das indústrias diferem grandemente. Por exemplo, na Internet dos Veículos, as comunicações de carro para carro requerem latência extremamente baixa. Na telemedicina, os sistemas de vídeo remotos requerem largura de banda ultra-ampla, baixa latência e alta confiabilidade. Nesse caso, as redes devem criar pequenos sistemas localmente, e grandes sistemas globalmente. O modelo de distribuição da Markov comporta uma arquitetura de rede tanto com controles centralizados quanto distribuídos.

Sobre a arquitetura ADN inovadora, Dr. Wen observou: “As comunidades tradicionais de redes adotam uma arquitetura horizontal, com recursos espalhados em diferentes camadas da rede. Eles visam a proporcionar cobertura por região e maximizar a eficiência de utilização de recursos em diferentes camadas. No entanto, essas redes são incapazes de satisfazer as necessidades de aplicação de ponta a ponta.”

De acordo com o Dr. Wen, para tratar dessa questão, a ADN da Huawei uma arquitetura vertical top-down (de cima para baixo). A Huawei desenvolveu três teorias que guiam o design de uma ADN de três camadas: a teoria de consumo de informações, a teoria de controle de informações, e a teoria de disseminação de informações. Na camada da aplicação, a modelagem de dados é conduzida de acordo com as características de serviços diferentes. Na camada de controle de recursos, os recursos da rede são coordenados global e localmente para entregar uma experiência de usuário superior e máxima utilização de recursos. Na camada dos dados, o desacoplamento de aplicação por meio de camadas de serviço é atingido a fim de comportar coordenação e compartilhamento de recursos de maneira mais eficiente.”

 “As ADNs representam uma nova teoria de negócios, que requer que nós repensemos as operações de rede e desenvolvimento de tecnologia a partir das perspectivas de valor de cliente, valor de rede, e valor de operadora”, declarou o Dr. Wen. “As ADNs recomendam uma abordagem voltada à aplicação e à demanda para construção e desenvolvimento de rede remodelando, assim, os meios de networking tradicionais das operadoras”, explicou ele.

As ADNs vão abrir as portas para as aplicações, permitindo que as operadoras diversifiquem seus modelos de vendas tradicionais de apenas tráfego ou apenas largura de banda, e criem novos fluxos de receita. “No futuro, as operadoras poderão expandir seu espaço de mercado ao arrendar ADNs com aplicações aprimoradas para indústrias verticais, como transporte, saúde, educação, finanças e a Internet das Coisas (IoT, Internet of Things)”, acrescenta o Dr. Wen.

Na Globecom 2015 em 10 de dezembro, a Huawei causou uma sensação quando anunciou pela primeira vez seu conceito ADN.

Para mais informações, acesse: http://www.huawei.com/en/news/2015/12/Huawei%20Unveils%20the%20Vision%20for

FONTE Huawei


Por PR Newswire

Trending

Sair da versão mobile