Interesse em consumo dos paulistanos cai pela quinta vez seguida

Published

on

Foto: Reprodução

Indicador da FecomercioSP recua 1,2% aos 109,5 pontos, atingindo em julho novo recorde de piso para toda a série histórica iniciada em janeiro de 2010

O interesse dos paulistanos por compras de produtos e contratação de serviços diminuiu entre junho e julho. É o que mostra a redução de 1,2% no índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) na cidade de São Paulo, aos 109,5 pontos. Trata-se da quinta baixa consecutiva e a pontuação passou a ser o novo recorde de piso da trajetória do indicador que começou a ser divulgado em janeiro de 2010 pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo. Comparado ao que foi registrado em julho de 2013, o índice despencou 10,6% em um ano.

Para os economistas da Entidade, a menor vontade de consumir na capital paulista tem relação direta com o agravamento recente das condições econômicas brasileiras. Nos últimos meses, ainda de acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, a população começou a demonstrar cautela, reduzindo o consumo por causa do nebuloso cenário de baixo crescimento, do elevado patamar da inflação, da menor expansão do número de vagas no mercado de trabalho e do consequente freio do aumento da renda.

Dos sete segmentos que fazem parte do índice, apresentaram alta no mês apenas Emprego atual (0,3%) e Nível de consumo atual (0,2%). O item Perspectiva profissional não variou no período. Entre os que caíram, os piores desempenhos foram apresentados por Acesso ao crédito, com baixa de 3,2%, e Perspectiva de consumo, cujo recuo foi de 2,9%. Também tiveram redução entre junho e julho os itens Renda atual (-1,7%) e Momento para duráveis (-0,6%).

A expectativa da Federação é que o indicador continue com tendência negativa nos próximos meses, na medida em que o quadro econômico do País se mantém inalterado, sem nenhum tipo de sinalização de melhora. Além disso, o ICF deve captar já na próxima pesquisa o sentimento das famílias paulistanas após a realização da Copa do Mundo no Brasil.

Advertisement

Trending

Sair da versão mobile