Connect with us

Educação e Comportamento

‘Método Harvard’ de aprendizagem ajuda na concentração de crianças e reduz hiperatividade no ensino público brasileiro

Published

on

Estudo conduzido pelo Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino foi realizado em colégios do estado do Rio de Janeiro ao longo de um ano letivo; aplicação de metodologia também ajudou na diminuição de conflitos entre os estudantes

Um estudo liderado pelo IDOR (Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino), braço científico da Rede D’Or, mostrou que a adoção de um método de aprendizagem socioemocional utilizado em Harvard (EUA) ajuda na concentração de crianças na escola, além de reduzir a hiperatividade, a ansiedade social e os problemas de conflitos entre os alunos. 

A pesquisa, que teve participação de acadêmicos de Harvard, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) usou uma metodologia de aprendizagem SEL Kernels (do inglês Social-Emotional Learning), inclusiva e de rápida assimilação, durante o período de um ano letivo em escolas do estado do Rio de Janeiro. 

Para realizar a pesquisa, as estratégias foram traduzidas, adaptadas e adequadas à linguagem e cultura do Rio de Janeiro e distribuídas em quatro centros educativos públicos do estado (dois na cidade de Paraty e outros dois no município de Angra dos Reis, no litoral sul), com 205 crianças tendo o “SEL Kernels” implementado durante todo o conteúdo programático anual, enquanto outros 109 alunos da mesma idade e mesmos colégios compuseram um grupo de controle, que seguiu a grade pedagógica padrão. 

Os resultados, recentemente publicados no periódico Early Education and Development, mostraram que as crianças participantes do programa tiveram melhorias significativas em diferentes áreas, como problemas de conduta (50% menos incidência de casos), hiperatividade (60% de redução em ocorrências) e problemas de relacionamento com colegas (55% menos registros). Esses dados foram reportados pelos professores de acordo com a progressão de cada aluno. 

A metodologia “SEL Kernels” consiste em atividades curtas, mas meticulosamente selecionadas e com método pedagógico testado, de duração média de cinco a quinze minutos, e que podem ser aplicadas em qualquer sala de aula para desenvolver e impulsionar as habilidades sociais e emocionais da turma. 

Para que a aplicação fosse efetiva, os pesquisadores tiveram muita atenção na introdução do SEL Kernels aos docentes, e incluíram em palestras nos locais outros profissionais envolvidos na rotina dos meninos, como diretores, inspetores e pais. 

“O que este estudo mostra é a potência aliada à simplicidade do SEL Kernels. As atividades e estratégias são baseadas na prática do professor, fáceis de implementar e flexíveis, permitindo a ele integrar as atividades nos currículos e rotinas existentes, selecionando aquelas que melhor respondam às necessidades de seus alunos. Essa abordagem, além de permitir que as crianças se relacionem de forma mais saudável e construtiva com seus colegas, estimula o desenvolvimento socioemocional e, claro, o aprendizado”, comenta Ana Luiza Colagrossi, primeira autora do artigo e pesquisadora do IDOR.

Segundo ela, outras técnicas de aprendizagem socioemocional requerem um tempo maior de atividade e muitas vezes exigem recursos pouco acessíveis para escolas públicas de um país como o Brasil. O SEL Kernels, por outro lado, foi escolhido por ser uma implementação de baixo custo e flexível, permitindo aos professores selecionar estratégias e atividades que melhor atendam os anseios e objetivos da classe.

“O que este estudo mostra é a potência aliada à simplicidade do SEL Kernels. As atividades e estratégias são baseadas na prática do professor, fáceis de implementar e flexíveis, permitindo a ele integrar as atividades nos currículos e rotinas existentes, selecionando aquelas que melhor se encaixem em sua didática”, conclui Colagrossi. 

Continue Reading
Advertisement
Advertisement

Copyright © 2023 The São Paulo Times