Miguel de Cervantes Saavedra

Published

on

Miguel de Cervantes Saavedra

Nascido em 29 de setembro de 1547, no município de Alcalá de Henares, na Espanha, Cervantes, como é conhecido, foi poeta, romancista e dramaturgo. Passou sua infância em Valladolid e frequentou escolas em Madrid e Sevilha, porém não concluiu nenhum curso.

Cervantes teve uma passagem pelo Exército lutando na batalha naval de Lepanto, em 1571, contra o império turco – episódio que provocou um grave ferimento em sua mão esquerda, tornando-a sem movimentos.

Após ser capturado pelos corsários de Argel, parte do Império Otomano, o escritor ficou detido entre os anos de 1575 e 1580. Depois disso, voltou para Madrid para trabalhar como comissário de víveres do rei Felipe II.

Casou-se com Catalina de Salazar, em 1584, uma jovem 22 anos mais nova com quem teve um breve matrimônio, que durou somente um ano. Neste mesmo ano, nasceu sua filha, Isabel de Saavedra, fruto de um romance com uma mulher chamada Ana Franca. Em 1585, publicou a novela La Galatea, ano da morte de seu pai, Rodrigo.

Sem sucesso como escritor, o espanhol foi para a região da Andaluzia e trabalhou como cobrador de impostos do governo. Exerceu tal atividade por dez anos e foi preso em Sevilha, sob a acusação de roubo de parte dos tributos coletados.

Advertisement

Cervantes também já havia trabalhado em outro ramo, na Itália, onde atuou como serviçal para um cardeal. Neste período, o país recebia a chegada do Renascimento, o movimento artístico-cultural, o qual destacou nomes como Leonardo da Vinci e Michelangelo.

Aos 58 anos, o escritor espanhol pôde, enfim, dedicar-se exclusivamente à literatura, após publicar a primeira parte do livro Dom Quixote, sua obra-prima.

 O livro teve seis edições no mesmo ano do lançamento, um fato atípico, considerando a época. A obra, que foi escrita durante sua passagem pela prisão, conta as aventuras de um fidalgo, Dom Quixote, e seu fiel escudeiro, chamado Sancho Pança.

Já em 1613, publicou Novelas Exemplares e El Viaje del Parnaso. Em 1614, um falsário, chamado Fernandez Avellaneda, assinou uma suposta segunda parte de Dom Quixote. Somente em 1615, Cervantes, de fato, publicou a segunda parte da obra, intitulada Delingenioso Cavallero Dom Quixote de La Mancha.

Acredita-se que Miguel de Cervantes tenha morrido em 23 de abril de 1616, embora haja algumas divergências. Não se sabe ao certo as razões de seu falecimento, entretanto, a causa mais provável é que tenha sido em decorrência da cirrose.

Advertisement

Um fato curioso é que a data de sua morte é quando se comemora o Dia Internacional do Livro. Através de suas obras, o escritor ajudou a consolidar o castelhano no território espanhol, sendo citado como “a língua de Cervantes”.

____________________________________________________________________________________________________

Amanda Cordeiro. Editora Assistente do The São Paulo Times. É estudante de Jornalismo, instrutora de inglês e atualiza a sua coluna Biografias todas as quintas-feiras. © 2014

Advertisement

Trending

Sair da versão mobile