Connect with us

Na janela

Published

on

claudia

Na janela

Debruçado no parapeito do décimo andar, um senhor passa os dias olhando para o horizonte com um orgulhoso sorriso de canto de boca. Não se sabe se pelo relacionamento duradouro que teve ou por ter deixado sua esposa totalmente louca.

Duas janelas pra baixo, uma adolescente chorou a tarde inteira grudada aos seus fones de ouvido. Decerto caiu em uma cilada amorosa ou, na melhor das hipóteses, chegou tarde em casa e ficou de castigo.

No edifício ao lado, um pouco mais emburrado, fica sempre um gato peludo e gordo. Mia feliz enquanto recebe a luz diretamente do sol, mas quando chega a tarde e a sombra se faz lençol, reduz seu charme ao bigode torto.

Enquanto isso, no térreo, é o síndico sempre bravo quem anda todo soltinho e aéreo. Parece que depois de anos e anos o cupido finalmente lhe acertou um tiro certeiro – pelo menos foi isso o que me confessou Toninho, o seu amigo porteiro.

Advertisement

Já na cobertura do prédio da frente, faz algum tempo que o pai de família não mostra os dentes. Dizem ser problemas com uma fusão, mas a julgar pela frieza de sua esposa e pelo preço de seu carrão, está na cara que é coisa diferente.

__________________________________________________________________________________________________________
Henrique Rojas – mas pode chamar só de “Rôrras” – é redator, palmeirense, paulistano e um observador nato de pessoas. ©2014.

Continue Reading
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Copyright © 2023 The São Paulo Times