Piolhos: saiba tudo sobre esses insetos

Published

on

Foto: Reprodução

Quem não se lembra com saudades das brincadeiras da infância? A interação com irmãos, primos e amigos da escola ajuda no desenvolvimento e formação intelectual dos pequenos, mas também permite a transmissão de piolhos. “A pediculose de couro cabeludo, que é a famosa infestação de piolhos, é muito frequente entre crianças de 3 a 11 anos de idade, principalmente nas meninas por causa do cabelo mais comprido”, afirma a Dra. Natasha Slhessarenko, pediatra que integra o corpo clínico do Lavoisier Medicina Diagnóstica.

Segundo a especialista, o piolho é transmitido de pessoa a pessoa por contato direto. Mas engana-se quem pensa que ele pula. Na verdade, ele anda de cabeça em cabeça, ou de outras superfícies como travesseiros, toalhas, escovas, bonés e tiaras. “Como as crianças têm um contato muito próximo durante as brincadeiras, fica mais fácil a transmissão”, salienta Dra. Natasha.

Prevenção

Não há um produto específico que pode ser usado para prevenir os piolhos e qualquer pessoa pode pegar, independentemente da faixa etária e do tipo de cabelo. Vale lembrar também que ter piolhos não significa falta de higiene. A única forma de prevenção é evitar o contato com pessoas que estão com piolhos, o que nem sempre é possível, principalmente nas crianças.

“Muitas vezes a criança começa a apresentar coceira, mas os pais demoram a perceber que é piolho. Enquanto isso, ela pode transmitir para outras crianças ou até para a própria família”, avisa a pediatra. Portanto, assim que se percebe piolhos na criança, é importante avisar a creche ou escola para que todas as mães das outras crianças possam procurar se seus filhos estão acometidos. Esconder esta informação fará com que seu filho possa se reinfectar, pois as crianças do seu convívio ainda poderão estar infestadas.

Trending

Sair da versão mobile