Connect with us

Programa diferente para fazer em São Paulo

Published

on

claudia

Programa diferente para fazer em São Paulo

O programa em questão é um desses que, à primeira vista, pode causar uma certa estranheza sobre a condição “turística”. Mas deixando o preconceito de lado, é possível enxergá-lo como uma ótima opção para aprender um pouco sobre arte e história.

O programa é esse mesmo que você está pensando. Já estou lendo seus pensamentos: “não acredito que ela vai falar de cemitério”. Ora, se essa ideia soa tão desagradável, recomendo esperar pela coluna da próxima semana.

O Tour no Cemitério da Consolação tem até guia turístico para contar a história dos túmulos e de seus donos. O nome dele é Francivaldo, também conhecido como Popó devido à semelhança física com o boxeador. É cearense e, assim como eu, mais um filho adotivo de São Paulo. Chegou na década de 80, ainda jovem, em busca de oportunidades de trabalho. Depois de trabalhar como porteiro, pedreiro, entre outras coisas, trabalhou como sepultador no Consolação.

Durante o expediente, ainda como sepultador, Popó corria para a tumba mais próxima do grupo de visitantes monitorado pelo seu chefe: o professor Délio Freire dos Santos, pioneiro na ideia de visitas monitoradas por cemitérios paulistanos. Tentava ouvir a explicação, os nomes e as datas, escondido atrás das lápides. Anotava nas mãos tudo o que iria pesquisar depois na biblioteca.

Advertisement

Em 2000, Popó foi promovido: de coveiro a monitor. Seu tour sobre as várias personalidades presentes no Consolação, como Monteiro Lobato, Tarsila do Amaral, Mário e Oswald de Andrade, é imperdível. Experimente perguntá-lo sobre qualquer nome de rua da região que ele dirá quem foi e onde se encontra enterrado. Sensacional!

Visita monitorada ao Cemitério da Consolação:
Acontece de segunda a sexta, com uma hora de duração. É preciso ligar para o telefone (11) 3396-3815/3833 para agendar. Gratuita.

__________________________________________________________________________________________________________
Clarissa Sá é carioca. Chegou em São Paulo em 2012 para trampar e acabou por tomar gosto pelas preciosidades que passou a garimpar na Pauliceia. © 2014. Para conhecer suas outras garimpadas, acesse: http://garimpandonapauliceia.wordpress.com

Advertisement

Continue Reading
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Copyright © 2023 The São Paulo Times