Qual a melhor idade para começar a dar mesada aos filhos?

Published

on

Foto: Reprodução

Crianças e adolescentes devem aprender desde cedo lidar com questões financeiras, isso cria responsabilidades e obrigações.

Quando os filhos começam a crescer, pedidos inusitados surgem, e um deles é a mesada. A educação financeira de crianças e adolescentes pode começar desde cedo, sem um tempo exato para dar início ao ganho mensal.  Por volta dos cinco anos a criança já começa a compreender algumas operações matemáticas e, desta forma, entende melhor a relação com o dinheiro. Não existe uma regra e valor estipulado; depende de quanto os pais podem dispor, da realidade e estado financeiro do lar e da relação que a família tem com o dinheiro.

Para a Coordenadora do Colégio Itatiaia Priscila Manetta, outros fatores também podem ser avaliados para este tipo de questão. “Devemos analisar a dinâmica da casa, a maturidade da criança e qual a forma que os pais lidam com dinheiro”. Além disso, a Coordenadora ainda alerta sobre a periodicidade que a quantia deve ser entregue. “É importante que os responsáveis definam com os filhos uma data para o pagamento, por exemplo: toda quinta feira ou dias 1 e dia 20 etc. Os pais precisam cumprir as datas estabelecidas assim, como a quantia”, diz Priscila.

Com esta pequena renda a prole começa a entender e a administrar a importância do dinheiro, alguns jogos nas escolas ou até mesmo na Internet, ajudam, porém o maior exemplo vem de casa. Com a mesada crianças e adolescentes aprendem a poupar e a perceber o preço e o valor das coisas.

É importante que os mentores ajudem a definir o que deverá ser comprado pelos filhos, para que usem de maneira que os beneficiem, adquirindo coisas que desejam sem que seja em datas comemorativas, podendo comprá-los com o que ganharam no mês, além de também incentivá-los a guardar uma porcentagem para ensinar que ao poupar, pode se ter garantias no futuro.

Segundo Priscila, a mesada cria nas crianças a responsabilidade, elas aprender a esperar para conseguir o que querem e, em muitos casos, desenvolvem o empreendedorismo. “Quem nunca ouviu dos pais: – dinheiro não dá em árvore? Inclusive, quando a criança espera para ter algo, acaba dando valor maior às coisas”, comenta.

Um fato interessante e que os pais podem explorar é que ao dar uma quantia aos filhos regularmente, eles automaticamente ensinam educação financeira e podem incentivar alguns jogos matemáticos, perguntando sobre quanto eles têm, qual a quantia que falta para conseguir comprar um brinquedo ou um objeto de desejo.

Desta forma a criança aprende matemática e é estimulada a lidar melhor com questões financeiras no dia a dia, ajudando também com que tenham menos problemas financeiros ao longo da vida. Os filhos precisam saber que o lanche do colégio é pago pelos pais, mas as figurinhas do álbum eles mesmos podem pagar com a mesada. Desta forma, os valores, obrigações e aprendizado não são prejudicados.

Trending

Sair da versão mobile