Queda de cabelos durante tratamento oncológico pode ser reduzida

Published

on

Foto: Reprodução

A queda de cabelos e pelos é um dos impactos previstos em pessoas que estão em tratamento de câncer. É um dos efeitos colaterais mais comuns do processo terapêutico, a alopecia – nome dado à perda dos cabelos – pode comprometer a autoestima e, consequentemente, a qualidade de vida de pacientes oncológicos, conforme esclarece o oncologista clínico Gilberto Lopes, do Centro Paulista de Oncologia e HCor Onco, instituições-membro do Grupo Oncoclínicas, do qual é diretor científico.

Por isso, Lopes explica que os cuidados durante o tratamento do câncer vão muito além dos processos medicamentosos e de exames. Há um suporte multiprofissional, essencial para que o paciente seja avaliado e assistido de maneira humanizada e integrada, tendo em vista todas as suas necessidades, físicas e psicológicas. Assim, alguns recursos são indicados aos pacientes como forma de superar esta fase do tratamento, em especial, às mulheres, como o uso de lenços e perucas, que ajudam a devolver a autoestima e equilibrar o emocional que pode ser abalado pela perda de cabelos no período terapêutico.
Atualmente, o oncologista clínico relata que há uma tecnologia que tem sido usado como meio preventivo da alopecia induzida pela quimioterapia, já em uso no Brasil, aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Trata-se da crioterapia, um procedimento que consiste no resfriamento do couro cabeludo”, relata Lopes.
A técnica consiste no uso de uma touca gelada, resfriada a menos 4°C, que gera uma sensação térmica no couro cabeludo de 12 a 15°C, fazendo com que os vasos sanguíneos se contraiam. Com espaços mais estreitos, a quantidade de medicação que chega até a raiz do cabelo é menor.
Os resultados dos estudos sobre resfriamento do couro cabeludo para a prevenção da queda de cabelos são variáveis, depende das drogas utilizadas no tratamento e de condições individuais dos pacientes, porém, a maioria deles foi favorável. Com base no olhar individualizado das condutas com cada paciente, conforme suas necessidades e indicação médica é possível fazer uso da crioterapia.
Lopes ressalta que nem todas as quimioterapias ocasionam a perda de fios, assim, a gestão deste cuidado com os cabelos deve ser estabelecida conjuntamente com o médico e equipe multiprofissional.
Crioterapia e Grupo Oncoclínicas
Buscar soluções para aliviar possíveis efeitos colaterais do tratamento oncológico, é uma das primícias Grupo Oncoclínicas, que em quase todas as suas unidades distribuídas entre nove estados do País, dispõem do equipamento para prover a crioterapia.
O Centro Paulista de Oncologia é um dos pioneiros no Brasil a oferecer aos pacientes a perspectiva de acessar a técnica.

Trending

Sair da versão mobile