fbpx
Tuesday, October 20, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


5 sinais que indicam que chegou a hora de montar um negócio próprio

Quase cem por cento das pessoas que trabalham em uma empresa já pensaram em sair da mesma e montar um…

By Redação , in Brasil Negócios , at 26/04/2015

Foto: UnfinishedBusiness_StarStock
Foto: UnfinishedBusiness_StarStock

Quase cem por cento das pessoas que trabalham em uma empresa já pensaram em sair da mesma e montar um negócio próprio. Não se trata de uma decisão fácil, pois além da mudança de rotina, existem diversos riscos envolvidos nesta tomada de decisão. O objetivo deste artigo não é reforçar a importância de se fazer um plano de negócios, ou ter disciplina para coordenar diversas atividades simultaneamente. Aqui, darei algumas sinais para que você constate, se de fato, você tem o DNA do empreendedor em seu sangue. Essa característica é fundamental para que sua empreitada seja vitoriosa. Vejamos algumas características que dizem claramente se chegou a hora de fazer um voo solo, ou se ainda vale a pena “comer grama” por mais algum tempo… Porém, aqui vai um conselho. É muito importante que estas sensações estejam todas (ou quase todas) presentes na sua vida. Não se iluda se apenas uma ou outra fizer parte da sua rotina:

1)   Nada do que você faz no seu trabalho atual parece te agradar ou motivar. A todo instante você pensa que, se a empresa fosse sua, faria tudo completamente diferente. A melhor forma de constatar essa sensação ocorre logo ao acordar pela manhã. Quanto tempo você leva para se deslocar da cama para o banheiro? Se o caminho for interminável, e bater uma depressão profunda, ao ponto de você se imaginar ligando para a empresa e inventar uma desculpa qualquer para não ir trabalhar, saiba que você tem grandes chances de não se arrepender se pedir a conta. Essa sensação aparece depois de você ter “rodado” bastante pelas áreas da empresa. Muitas vezes, você pode pensar que já não aprende nada estando lá e assume estar em uma “zona de conforto” prejudicial. Você não corre riscos, mas também não se vê trabalhando naquela empresa no futuro.

Você é uma pessoa organizada e, ás vezes, até demais. Este é um sinal crucial de que você está pronto para abrir um negócio. Suas gavetas são organizadas? Como é sua mesa de trabalho? Como você organiza suas roupas? Você gerencia bem o seu tempo? Todas estas perguntas trazem uma informação importante: Você controla tudo o que faz. Abrir uma empresa é fácil, o difícil é mantê-la em pé. Segundo o SEBRAE, 60% das empresas quebram nos dois primeiros anos de vida. E o principal motivo para isso é a falta de fluxo de caixa. Traduzindo, falta de organização, planejamento e controle. Se sua esposa (ou marido) recolher suas meias pela casa, reclamar que você não arruma suas coisas ou só paga as contas depois que elas vencem, saiba que ainda não chegou a hora de se arriscar a abrir um negócio.

Gosta de correr riscos (e de sofrer também). Nenhum empreendedor que se preze evita todos os riscos. Aliás, a característica mais frequente em um empreendedor é a dúvida do que encontrará pela frente. Você precisa estar ciente de que abrir uma empresa é ter mais dúvidas do que certezas. Nenhum “grande empresário” tinha certeza de que um dia se tornaria um “grande empresário”. Desta forma, você precisa aceitar que lidará com o incerto, o imponderável. Isso faz parte do jogo e evitar essa característica é aceitar ser funcionário de uma empresa. Além disso, saiba que você trabalhará muito mais do que um simples mortal. Enquanto as pessoas estiverem pulando o carnaval, você poderá estar trabalhando. Enquanto estiverem dormindo, você estará “ralando”. E mesmo nestas situações, você se sentirá bem. Além de correr riscos, é necessário ser um pouco masoquista, ou seja, gostar de sofrer um pouco.

Tem uma relação de frieza com o dinheiro. Esta é uma característica muito importante para o empreendedor. Muitos confundem “faturamento” com “resultado líquido”. Começam a ver o dinheiro dentro do caixa e se deslumbram, achando que estão ficando ricos. Um dos erros mais comuns do dono de um negócio é misturar a movimentação da conta “pessoa física” com “pessoa jurídica”. Assim, sacam aleatoriamente uma quantia da empresa e utilizam para pagar suas contas pessoais. Ao final do mês, tanto a PJ, quanto a PF estão no “vermelho”. É preciso que você decida como vai se relacionar com o dinheiro da sua empresa. Pense que se trata de um recurso como outro qualquer, tais como a eletricidade ou o material de escritório que você utiliza. Não deixe a emoção falar mais alto quando vir um dinheiro maior do que você habitualmente ganharia de salário. Estipule uma data certa para a retirada do seu pró-labore. Controle a ansiedade e aja com naturalidade até este dia. Frejat, na música Amor pra Recomeçar, disse: “Eu desejo que você ganhe dinheiro. Pois é preciso viver também. E que você diga a ele, pelo menos uma vez, quem é mesmo o dono de quem”.

As pessoas te acham louco. O empreendedor é um cara louco. Certamente você já ouviu falar na frase que “Nem Jesus Cristo agradou a todos”. Portanto, você ouvirá, de várias pessoas, de que sua ideia, ou negócio, não dará certo. Um importante sinal nesta hora é perceber se seus olhos se fecham, em uma clara demonstração de raiva, quando alguém diz para esquecer essa ideia mirabolante de abrir uma empresa. Você precisa ter vontade de provar para o seu interlocutor que ele está errado. A maior parte dos empresários que deram certo na vida ouviram de seus pais, amigos ou vizinhos de que a ideia de abrir uma empresa era perda de tempo. Muitos usaram essa “raiva” positiva como combustível para vencer na vida. Claro, existem ideias absurdas, e se em cada 10 pessoas que você conversar, 10 disserem que você é louco, talvez seja melhor escutá-las e pensar em algo melhor. Porém, não espere ouvir palavras de incentivo de todos para quem contar sua ideia.

Por Alberto Roitman

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *