fbpx
Tuesday, September 22, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


6 passos para famílias paulistanas se livrarem do endividamento

A educação financeira é o caminho para que 51,8% das famílias paulistanas que estão endividadas, segundo dados da Fecomércio-SP, saiam…

By Redação , in Brasil Negócios News & Trends São Paulo , at 15/04/2016

Foto: Reprodução
Foto: Reproduçãoinhei

A educação financeira é o caminho para que 51,8% das famílias paulistanas que estão endividadas, segundo dados da Fecomércio-SP, saiam dessa situação. No Brasil, muitas pessoas acumulam compromissos financeiros, como financiamentos e dívidas no cartão de crédito. O principal problema é o risco – ou a certeza – de não conseguir pagar tudo.

De acordo com o mestre em educação financeira presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), Reinaldo Domingos, quem tem dificuldades em honrar seus compromissos tende, também, a não cultivar uma reserva de segurança para enfrentar eventuais adversidades e a não ter um planejamento para realizar seus sonhos.

“Quem não tem o hábito de planejar antes de comprar corre o risco de adquirir uma dívida e depois não ter condições de pagar. É importante organizar as finanças no presente e passar a pensar, cada vez mais, no futuro”, orienta Domingos. A quem já está endividado e com dificuldade em honrar seus compromissos, é válido conhecer 6 orientações para abandonar o endividamento:

Estabeleça seus sonhos – É exatamente por atravessar um momento de desiquilíbrio financeiro que é importante sonhar. Se livrar das dívidas pode ser um objetivo, mas não o único. Os verdadeiros sonhos, possivelmente adormecidos por conta das preocupações diárias, devem ser resgatados e mantidos avivados na mente. Eles serão os principais combustíveis para a mudança de vida.

Conheça sua capacidade de pagamento – Tanto o indivíduo quanto a família precisam saber claramente quais são seus ganhos líquidos, pois quem acredita que ganha mais do que verdadeiramente ganha, tende a gastar além do que pode. Quem tem rendimentos variáveis deve se atentar a sazonalidade e procurar ter registrado em quais meses costuma ter mais ou menos dinheiro.

Saiba com o que se gasta – Muitas pessoas costumam ter em mente apenas os custos dos seus maiores gastos fixos. Porém, para enxugar as despesas é imprescindível olhar para os gastos pequenos e esporádicos, como cafezinhos ou compras em shoppings. Ao anotar cada um deles, é preciso coragem para refletir sobre o modo como tem conduzido suas finanças.

Controle as dívidas – É preciso levantar, em detalhes, todas as suas dívidas. Descreva o tipo, quem é o credor, a taxa de juros praticada e o total devedor. Separe os itens entre essenciais e não essenciais, para priorizar os pagamentos. Em seguida, busque saber as taxas cobradas em caso de renegociação e estabeleça estratégias para se livrar de todas elas.

Reduza os juros – Quem paga muitos juros, e com o tempo, juros sobre juros, perde força de pagamento. Por isso, mesmo em situação de endividamento, é importante poupar. Com dinheiro em mãos, é possível renegociar com os credores. Pegar um empréstimo para quitar esses débitos – desde que os juros do empréstimo sejam menores do que os das dívidas existentes – é uma possibilidade.

Poupe antes de comprar – Mais interessante do que assumir dívidas é fazer um planejamento de despesas e guardar dinheiro para realizar sonhos, pagando a vista ou negociando bons descontos.

Fonte – Livro Livre-se das Dívidas (Editora DSOP) de Reinaldo Domingos.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *