fbpx
Tuesday, August 11, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


A Arte de Administrar Expectativas

A Arte de Administrar Expectativas Nos últimos dias, vivemos no Brasil um cenário de grandes expectativas, por parte de toda…

By Redação , in Coluna , at 29/10/2014

Paulo

A Arte de Administrar Expectativas

Nos últimos dias, vivemos no Brasil um cenário de grandes expectativas, por parte de toda a população. Parte dos brasileiros viu satisfeita sua expectativa; enquanto outra parte viu frustrada sua intenção. Isso vem nos lembrar que, como seres sociais; precisamos sempre levar em conta, queiramos ou não, as expectativas do outro. No grande xadrez da vida; da questão mais pública à mais íntima; existe sempre a necessidade de harmonizar nossas expectativas e lembrar que TODOS, sem exceção, as temos.
E embora assim seja, tenho a sensação de que erramos e sofremos quando colocamos qualquer expectativa sobre o outro, sobre a vida e sobre o mundo. Porque a expectativa pertence apenas a nós mesmos. Ela não faz parte do outro, não faz parte da vida, não age sobre o mundo. A sua expectativa é apenas parte de VOCÊ mesmo, daquilo que você pensa, acredita ou quer. O outro, seja uma pessoa, cinqüenta milhões de pessoas ou o mundo todo, não tem nenhum compromisso com a sua expectativa. Apenas VOCÊ gostaria que tivesse.
Se não as devemos ter, mas as temos, o que fazer? O melhor possível. O que mais? Fazer o melhor possível é o compromisso que podemos ter, primeiramente conosco mesmos – e em seguida, com os demais. Agir de acordo com nossa melhor consciência, oferecer o nosso melhor. Se o nosso melhor será o que é preciso, é algo que, efetivamente, só saberemos depois. Depois, inclusive, de tentarmos; porque o melhor “em tese” não significa grande coisa. Apenas o melhor quando posto em prática. A intenção é o primeiro passo de qualquer atitude; mas ela vale exatamente apenas como primeiro passo; e sem os demais; nos leva apenas a uns dez centímetros de onde estivemos antes.
Assim, é preciso fazer, realizar, levar a cabo. Uma vez que nos entreguemos a isso, o melhor que há é não esperar nada; e acolher o que venha. Celebrando os sucessos; aprendendo com os demais resultados. Como diz o ditado chinês: “Quando perder, ao menos não perca a lição”. Neste momento, pouco mais da metade do país se considera vitorioso e pouco menos da metade considera que o resultado não satisfaz suas expectativas. Neste mesmo momento, olhe ao seu redor: provavelmente há, no seu escritório, assim como na sua casa; em questões profissionais; pessoais; relacionais e emocionais – pessoas que consideram-se vitoriosos ou frustrados, HOJE.
Talvez este seja o aspecto mais importante: é um momento, esse de dar-se conta do sucesso ou não da sua expectativa. Amanhã, semana que vem, mês que vem, esta sensação evanesce. Convivemos e conviveremos com os resultados reais; com os fatos que a vida nos apresenta. Com eles, faremos nossas futuras escolhas e construiremos nossas vidas. Aquele que esperava algo que aconteceu hoje, viverá certamente outras inúmeras frustrações. Aquele que se frustrou hoje, viverá experiências com as quais nem contava; e talvez cresça ainda mais com isso.
Tudo é impermanente; o impacto do momento se vai, e ao olharmos para as frustrações de dez ou vinte anos atrás, ficamos impressionados em constatar que “apesar disso”; ou “contra tudo que esperávamos” – a equação da vida foi; e talvez seja sempre; tão mais complexa, tão mais composta e incompreensível aos pequenos humanos que somos que continuaremos a nos surpreender – positivamente ou não – com os resultados que fomos capazes de realizar, independente da nossa frustração ou sucesso nas expectativas de cada momento.
No fundo, nesta vida tratamos mesmo é de aprender a grande arte de administrar “o que tem para hoje”.

__________________________________________________________________________________________________________
Paulo Roberto Ramos Ferreira é Diretor de Comunicação da ONG internacional New Earth Nation; Conselheiro e Representante do Nikola Tesla Institute em SP e autor do livro O Mensageiro – O Despertar para um Novo Mundo. © 2014.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *