fbpx
Wednesday, August 5, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Atraso de salário é causa de um em cada quatro endividamentos no Brasil

Um levantamento realizado pela Recovery, empresa líder em gestão e administração de créditos em atraso, aponta que, entre janeiro e abril deste…

By Redação , in Brasil Negócios News & Trends , at 10/06/2016

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Um levantamento realizado pela Recovery, empresa líder em gestão e administração de créditos em atraso, aponta que, entre janeiro e abril deste ano, o atraso de salários foi a segunda principal causa de endividamento dos consumidores, superando o desemprego.

Para efeito de comparação, no mesmo período de 2015, a falta de pagamento de salários era considerada a causa principal de apenas 3% dos endividamentos.

Causa de endividamento Janeiro a Abril de 2015 Janeiro a Abril de 2016
Descontrole financeiro 66% 45%
Atraso de salário 3% 26%
Desemprego 22% 24%
Outros 9% 5%

Os dados consideram as respostas de 25 mil consumidores consultados pela Recovery, que representam o perfil da carteira de 11 milhões de inadimplentes administrada pela companhia. O descontrole financeiro ainda é responsável por 45% dos casos de inadimplência. Atrasos no pagamento do salário são a segunda razão, apontada por 26% dos entrevistados, seguida por desemprego, informado como causa do endividamento de 24% dos entrevistados inadimplentes.

“O próximo passo após o atraso do salário é o desemprego. São duas causas de endividamento bastante relacionadas. Muitas empresas podem diminuir o quadro de funcionários, o que alerta para a queda nos níveis de negociação”, explica André Calabró, diretor de Cobrança da Recovery.

De acordo com dados da companhia, a mudança no perfil das causas da inadimplência também está impactando as condições de renegociação. A tabela abaixo mostra um crescimento na opção pelos planos de pagamento de dívidas de forma parcelada, com uma redução expressiva pela quitação à vista.

Perfil de Pagamento 1º Trimestre de 2015 1º Trimestre de 2016
À Vista 26% 18%
Parcelado em até 24 vezes 52% 54%
Parcelado acima de 24 vezes 22% 28%

 

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *