fbpx
Saturday, August 8, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Boehner e as leis de imigração nos EUA

Como a esperança de uma reforma de imigração em 2014 começa a perder força em meio à desconfiança dos Republicanos…

By Redação , in Mundo Política The São Paulo Times , at 20/02/2014 Tags:,

Como a esperança de uma reforma de imigração em 2014 começa a perder força em meio à desconfiança dos Republicanos em que o presidente Barack Obama cumpra adequadamente as leis de imigração existentes, alguns grupos conservadores estão duvidando que John Boehner, presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, possa fornecer a liderança sobre o assunto.

A Tea Party Patriots – uma organização política conservadora – reivindica a vitória para pressionar que Boehner classifique a imigração entre as questões de baixa prioridade.

No mês passado, Boehner e outros na liderança do Partido Republicano divulgaram um documento de uma página que lista as normas do partido para a reestruturação do sistema de imigração do país. Ele oferecia aos imigrantes não documentados a oportunidade de se acertarem com a lei por meio da legalização. Neste documento, porém, não havia nenhuma trajetória para a cidadania, que a extrema-direita se opõe como “anistia”. Dias após esses princípios serem liberados, Boehner disse que as chances de uma lei de imigração sair do Congresso este ano são poucas.

[blocktext align=”left”]”Francamente um dos maiores obstáculos que enfrentamos é a confiança do presidente”[/blocktext]

“Francamente um dos maiores obstáculos que enfrentamos é a confiança do presidente”, disse Boehner em uma conferência de imprensa.

“O povo norte-americano, incluindo muitos dos meus membros, não confia que a reforma vai ser implementada da maneira que se pretendia ser”, acrescentou Boehner. “Ouça, não há dúvida se esta administração pode ser confiável para cumprir nossas leis e que vai ser difícil de alterar qualquer legislação de imigração até que essa atitude mude”.

Jenny Beth Martin, cofundador e coordenador nacional do Tea Party Patriots, disse que tais palavras servem apenas para aliviar temporariamente os conservadores.

“Nós esperamos plenamente que ele mude de ideia de novo”, disse Jenny em um comunicado. “Isso não é liderança, em qualquer sentido da palavra, e demonstra claramente que a capacidade de Boehner para falar em nome da Câmara dos Deputados, do Partido Republicano, ou até mesmo do povo americano acabou”, completa Jenny.

O escritório de Boehner se recusou a comentar sobre este artigo. No entanto, sua relação com grupos conservadores tem sido tensas desde dezembro do ano passado.

“Francamente, eu acho que eles estão enganando seus seguidores”, disse Boehner. “Eu acredito que eles estão empurrando os nossos membros a lugares que eles não querem estar e, sinceramente, eu acho que eles perderam toda a credibilidade”.

“Precisamos de um sistema de imigração moderna”, diz o CEO da Heritage Action, Mike Needham. “Eu acho que o povo norte-americano está cansado desse tipo de lutas entre republicanos e democratas sobre como alterar o status quo, o que é quebrado nas margens, e em vez disso estão à procura de grandes ideias ousadas”, Mike completa.

Ainda assim, grupos conservadores não são as únicas vozes republicanas em desacordo com Boehner. O estrategista republicano, John Feehery, publicou que entende o motivo de haver hesitação da parte dos republicanos para avançar com a reforma da imigração, mas não concorda que o problema deva ser adiado um ano para lidar com a questão de não confiar neste presidente. Eu tenho uma solução muito simples: “faça com que as principais disposições da lei entrem em vigor depois que ele deixar o cargo”, diz Feehery. Mas se outro presidente for confiável para fazer cumprir a lei como está escrito, já é uma outra interrogação.

“É difícil prever o futuro com grande exatidão”, Feehery continua, “mas vou dizer: se a reforma da imigração não for aprovada neste ano, não vamos ganhar a Casa Branca de volta em 2016, 2020 ou 2024”.

© 2014, IBTimes

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *