fbpx
Wednesday, September 23, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Brasil receberá mais de R$ 2 milhões de investimentos em pesquisas para conservação da natureza

No total, vinte iniciativas com duração de até quatro anos foram selecionadas por meio de editais públicos. Diversos biomas brasileiros…

By Redação , in Brasil The São Paulo Times , at 28/06/2014 Tags:,

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

No total, vinte iniciativas com duração de até quatro anos foram selecionadas por meio de editais públicos. Diversos biomas brasileiros e o ecossistema marinho do país foram contemplados com projetos.

Foi divulgada a lista das novas iniciativas de conservação da natureza que serão apoiadas pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza a partir do segundo semestre de 2014. No total, serão doados R$ 2,1 milhões para 20 novas iniciativas, nos seis biomas brasileiros, além do ecossistema marinho.

Os projetos foram selecionadas por meio de editais públicos da Fundação Grupo Boticário, instituição que realiza chamadas semestrais desde 1990 e que já apoiou 1.397 pesquisas em todo o país. A maior parte das iniciativas selecionadas terão duração de até dois anos, sendo que algumas se estendem por três ou quatros anos.

As pesquisas e projetos selecionados nesta edição são de diversas regiões brasileiras e serão realizados na Mata Atlântica (09), na Caatinga (03), no Cerrado (03), na Amazônia (01), no Pantanal (01) e no ecossistema costeiro e marinho (05). Alguns projetos possuem área de abrangência em mais de um bioma.

Entre os projetos que receberão apoio destaca-se o estudo que acontece na Estação Biológica de Canudos (BA) com a arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari), espécie que desde 2012 é considerada como ’ameaçada’ pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN). O projeto, que tem como instituição responsável a Fundação Biodiversitas para a Conservação da Diversidade Biológica (MG), tem como objetivo o fortalecimento e o reconhecimento efetivo dessa unidade de conservação (UC), que foi criada no Bioma Caatinga especialmente para a preservação da arara-azul-de-lear. A ave é endêmica da região, não sendo encontrada em nenhuma outra parte do mundo, sendo que um levantamento da instituição responsável pelo projeto indica que há apenas cerca de 450 indivíduos da espécie na natureza.

Na Mata Atlântica, bioma mais ameaçado, fragmentado e desmatado do país, em cujos domínios vivem mais de 100 milhões de brasileiros, segundo o IBGE, serão realizadas doze iniciativas. O litoral sul de São Paulo receberá uma delas, que tem por objetivo proteger o papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis), colocando em prática as ações de conservação estabelecidas pelo Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Papagaios da Mata Atlântica. A Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), do Paraná, é a instituição responsável pela iniciativa.

Em 23 anos de atuação, a Fundação Grupo Boticário já se firmou como uma das maiores financiadoras, ligadas à iniciativa privada, de iniciativas de conservação da natureza brasileira. Ao todo, 1.397 iniciativas já foram apoiadas em todos os estados brasileiros, contribuindo para a descoberta de 69 novas espécies para a ciência e para a proteção de outras 237 ameaçadas de extinção no país.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *