fbpx
Saturday, January 23, 2021
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Breves encontros com a natureza: pessoas mais felizes e com menos estresse

Sacramento é um dos locais mais ensolarados do planeta, com média de mais de 14 horas diretas de luz solar…

By Redação , in News & Trends , at 25/08/2014 Tags:

Sacramento é um dos locais mais ensolarados do planeta, com média de mais de 14 horas diretas de luz solar por dia. Nas tardes sufocantes, o termômetro chega a 45º C e quase todo mundo liga o ar condicionado.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A preocupação da empresa elétrica é que a demanda súbita possa exceder a capacidade, mas a concessionária local em Sacramento encontrou nas árvores uma solução antes da invenção de aparelhos alimentados pela luz solar e termostatos monitorados remotamente.

Edifícios sombreados usam de 25 a 40 por cento menos energia durante o verão, evitando sobrecargas de energia. É por isso que, ao longo das últimas duas décadas, o Sacramento Municipal Utility District subsidiou o plantio de mais de 500 mil árvores, tornando a cidade uma das mais arborizadas do oeste dos Estados Unidos.

Os ambientalistas já conheciam a importância das árvores, mas não tinham como provar. Agora, porém, graças às ferramentas de software desenvolvidas pelo Serviço Florestal dos EUA e estudos realizados por cientistas sociais, a teoria poderá ser comprovada.

As árvores são a infraestrutura. Elas resfriam o ar, absorvem gases indutores de mudanças climáticas, protegem contra inundações, reduzem os níveis de estresse das pessoas e levantam valores de propriedade.

Estudos ainda mostram que os consumidores gastam mais dinheiro em lojas onde as ruas são arborizadas.

David Nowak, um dos criadores do software de monitoramento de árvore do Serviço Florestal dos EUA, chamado i-Tree, diz que se colocarmos as árvores no mesmo campo de jogo para tomar decisões econômicas, temos que colocá-las em termos econômicos também.

Cada árvore em Nova York oferece 9 dólares anualmente na redução da poluição do ar e 1,29 dólares na captação de carbono, de acordo com um estudo de 2007 realizado com uma versão inicial do software.

Especialistas calculam que a cidade de Syracuse, em Nova Iorque, economiza 1,1 milhão de dólares por ano em custos de saúde e afins por causa de suas árvores que purificam o ao para o pulmão de seus moradores.

Houve, ainda, uma valorização das casas próximas às hortas comunitárias em antigos terrenos baldios na Filadélfia, chegando a custo médio de 35 mil dólares.

Em Los Angeles, Atlanta, Portland, Oregon e em outras cidades, os dados têm convencido as autoridades a melhorarem suas florestas urbanas. Em Nova Iorque e na Filadélfia, é esperado que haja um plantio de um milhão de árvores.

Seattle, por exemplo, está transformando um local de 28 m² no meio da cidade em uma “floresta urbana de alimentos”, com maçã, ameixa, pêra e castanheiras para consumo público.

Através dos esforços dos homens, as árvores sobreviveram. Elas ainda estão lá e, com alguma sorte, estarão nos próximos anos.

© 2014, Newsweek.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *