fbpx
Tuesday, July 7, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Cientistas desenvolvem peixe robô inspirado no peixe elétrico encontrado na Amazônia

O KNIFEFISH elétrico, peixe fantasma normalmente encontrado na bacia amazónica, inspirou cientistas da Universidade de Northwestern a desenvolver um peixe…

By Redação , in Tecnologia e Ciência , at 22/02/2014 Tags:,

O KNIFEFISH elétrico, peixe fantasma normalmente encontrado na bacia amazónica, inspirou cientistas da Universidade de Northwestern a desenvolver um peixe robótico capaz de realizar uma série de tarefas, incluindo a investigação de navios afundados, reparação nas plataformas de petróleo danificadas, e pesquisar frágeis recifes de corais.

A equipe de desenvolvimento do peixe robótico foi liderada por Malcolm MacIver, um professor de mecânica e de engenharia biomédica da McCormick, Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas. Ele estudou o KNIFEFISH por mais de duas décadas, colocando sua experiência em robótica e biologia para trabalhar como consultor em vários filmes de ficção científica, como Tron: O Legado e O Exterminador do Futuro.

As inovações tecnológicas na área da robótica já ajudaram os cientistas a projetarem animais marinhos robóticos no passao. Por exemplo, eles fizeram um peixe robótico capaz de monitorar poluentes na água, imitando o estilo que os peixes navegam e trabalham em conjunto, reduzindo assim o tempo de tarefas, que antes duravam semanas e hoje levam apenas alguns segundos. No entanto, MacIver admite que a atual tecnologia subaquática ainda não está suficientemente avançada.

“Os atuais veículos submarinos são grandes e sem agilidade, o que significa que trabalhar perto de estruturas vivas ou criadas pelo homem é quase impossível”, disse ele em um comunicado à imprensa. “Aprendemos muitas lições com o KNIFEFISH sobre o movimento e detecção não-visual, e a partir disso, desenvolvemos novas tecnologias que devem melhorar os submarinos”.

Várias características do KNIFEFISH inspiraram os cientistas. Seus sistemas de movimento e sensores estão intimamente integrados. Porque eles são fracamente elétricos, têm a capacidade de sentir as coisas ao seu redor através de um campo elétrico auto-gerado. Os peixes também podem nadar em diferentes direções – para trás, para a frente, horizontal e vertical – com a ajuda de uma barbatana na parte de baixo.

MacIver e sua equipe já criaram vários robôs que imitam o KNIFEFISH em laboratórios de Neurociências e Robótica de Northwestern. Atualmente, eles estão trabalhando para obter uma melhor visão sobre o papel do seu sistema nervoso, desempenho no acesso a informação e geração de movimentos. A pesquisa, provavelmente, pode resultar no desenvolvimento de um veículo tecnologicamente superior, capaz de navegar debaixo d’água em complexas geometrias 3D, mesmo em águas turvas – onde os submarinos atuais não possuem esses recursos.

 

© 2014, iScience Times

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *