fbpx
Tuesday, July 7, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Cirurgia Bariátrica cresce 90% em cinco anos e é saída para doenças como hipertensão e diabetes tipo 2

O Brasil é o segundo país com mais cirurgias bariátricas realizadas no mundo, sendo 80 mil cirurgias por ano. De…

By Redação , in Saúde & Bem-estar , at 29/09/2015

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Brasil é o segundo país com mais cirurgias bariátricas realizadas no mundo, sendo 80 mil cirurgias por ano. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), o número de procedimentos cresceu 90% nos últimos cinco anos e 300% em dez anos. Isso se deve aos inúmeros benefícios para a saúde, proporcionadas pela cirurgia, que pode ser feita de duas maneiras diferentes e tem um índice de satisfação de 95% entre os pacientes que optaram pelo tratamento, segundo a SBCBM. O nutricionista Gabriel Cairo Nunes, membro da Federação Internacional de Cirurgia Bariátrica (IFSO) e da SBCBM ressalta que a importância do procedimento vai além de uma questão estética. “A cirurgia pode melhorar muito a qualidade de vida do paciente e prevenir doenças metabólicas. Ela gera, por exemplo, um grande benefício no controle de diabetes tipo 2, hipertensão, dislipidemia, entre outros, além dos benefícios psicológicos, como o aumento da auto-estima”, afirma Gabriel.

A cirurgia bariátrica ou de redução do estômago é indicada para pessoas com Índice de Massa Corporal (IMC) superior a 35 kg/m2 e consiste em dois diferentes procedimentos: banda gástrica ajustável e sleeve. “A banda gástrica é um dispositivo de silicone ajustável colocado na parte superior do estômago, por cirurgia vídeo-laparoscópica, destinado a desacelerar a digestão e estimular a saciedade precoce e prolongada. No sleeve, o estômago do paciente é grampeado em forma de tubo que vai do esôfago até o duodeno, reduzindo o estômago em 80% do seu tamanho”, explica o nutricionista.

Independente do procedimento escolhido, o paciente precisa passar por uma reeducação alimentar e acompanhamento nutricional para não haver carência de vitaminas e minerais ou reganho de peso após a cirurgia. “Com o acompanhamento, o paciente aprende a comer adequadamente e nos horários certos, inclui exercícios físicos na rotina e aprende a controlar a vontade e a compulsão alimentar.”, ressalta Gabriel. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, problemas relacionados a reganho de peso podem ocorrer em cerca de 10% a 15% dos casos, por isso, a importância de procurar um nutricionista antes, durante e após a realização do procedimento.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *