fbpx
Thursday, July 9, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Como ajudar no processo de criação artística do seu filho?

Segundo Christine Bruder, psicóloga, psicanalista e fundadora do premiado berçário bilíngue Primetime Child Development, em primeiro lugar, é indispensável que…

By Redação , in News & Trends The São Paulo Times , at 04/07/2016

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Segundo Christine Bruder, psicóloga, psicanalista e fundadora do premiado berçário bilíngue Primetime Child Development, em primeiro lugar, é indispensável que os pais acompanhem este processo. “Tenha em casa materiais dos mais variados tipos, além de procurar estimular o uso de outros materiais como pinceis e lápis, e, principalmente, não entregar desenhos prontos para o seu filho apenas pintar e nem apresentar modelos para cópias”. De acordo com a profissional, os pais devem saber que a arte é uma expressão livre e “não precisa parecer com nada, nem agradar aos outros”.

A partir desses estímulos a criança tem total liberdade para criar aquilo que bem entender. “A falta de exemplos ou limitações fazem com que os pequenos explorem ainda mais sensorialmente o material”.

Confira abaixo cinco dicas de Christine:

 

  • Quanto menor a criança maior deve ser o papel. Até os 3 anos de idade nada menor do que uma cartolina deve ser oferecida.

 

  • Quando a criança considerar sua arte terminada, pergunte à ela se ela quer seu nome no papel. Se disser sim, pergunte: “Onde você quer seu nome? Ponha o dedinho”. Escreva onde a criança indicar. Se ela disser: “Eu sei escrever meu nome”, dê a caneta a ela. Se a criança não se interessar ou não quiser seu nome no papel, respeite, não escreva o nome dela. Deixe que ela conduza e se aproprie do processo.

 

  • Resista à vontade de perguntar: “O que é isso?”. Aliás, resista à vontade de perguntar qualquer coisa. Se uma criança corre até você, dizendo: “Olha, olha!” faça exatamente isso: OLHE, pois a criança não disse “Olha e comenta”. Você pode pedir que ela te conte se gostou de fazer, que cores preferiu, o que achou…

 

  • Se uma criança perguntar “Você gosta do meu desenho?”, devolva a questão: “VOCÊ gosta do seu desenho?”. Vire o papel de cabeça para baixo, ou em 45º e diga “E se eu segurar assim. Ou assim?”

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *