fbpx
Thursday, July 9, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Confira 7 dicas para lidar com a rinite alérgica sem sofrimento

Otorrinolaringologista explica como a rinite surge, porque o tempo seco e a queda da temperatura piora as crises de quem…

By Redação , in Saúde & Bem-estar , at 21/06/2014 Tags:,

rinite-alergica_01Otorrinolaringologista explica como a rinite surge, porque o tempo seco e a queda da temperatura piora as crises de quem tem a doença e dá dicas de como amenizar os sintomas.

A queda da temperatura e o tempo seco típicos do outono podem agravar ou desencadear crises de rinite alérgica em uma parcela significativa da população brasileira. Aproximadamente de 10% a 25% das pessoas apresentam o problema em algum momento. Para evitar ou amenizar os sintomas que tanto incomodam – prurido nasal, espirros e coceira no nariz e nos olhos – é preciso tomar alguns cuidados.

De acordo com o otorrinolaringologista  Fabrízio Ricci Romano, a  rinite alérgica é uma inflamação da mucosa (pele fina e úmida) que recobre a área interna do nariz e acontece quando o órgão se defende de agentes que estão no ar, como pólen e poeira. Com o clima frio, o nariz costuma “trabalhar mais” para ativar a respiração e manter o corpo aquecido, por isso fica mais sensível.
“A rinite alérgica é uma resposta exagerada do sistema imunológico e, geralmente, o fator genético contribui para o aparecimento da doença”, afirma o Dr. Fabrizio. “A questão é que a maioria das pessoas com rinite não sabe que tem a doença, e acaba não realizando o tratamento de forma adequada.  Consequentemente essas pessoas passam parte da vida, especialmente no outono e inverno, com o nariz entupido, espirrando e com coceira no nariz e nos olhos”, explica o médico.
Para tratamento medicamentoso, é importante consultar o especialista, que pode identificar o tipo de rinite – se é alérgica, medicamentosa, irritativa ou vasomotora – e prescrever o tipo correto de remédio. Para a rinite alérgica, o tratamento não precisa necessariamente ser feito com corticosteroides. Existem outras alternativas, como a aplicação do spray nasal antialérgico (anti-histamínico), que promove um rápido alívio dos sintomas.  “O paciente nunca deve se medicar por conta própria. É um risco para a saúde e pode trazer efeitos indesejados e agravar o problema”, explica o  médico.
Tempo seco e aumento da poluição no ar
Basta o friozinho aparecer que quem tem rinite alérgica começa a sentir os sintomas. Mas por que os casos do problema aumentam no outono e inverno?
Além da maior sensibilidade do sistema nasal, a falta de chuva aliada à baixa umidade do ar e ao aumento da poluição são fatores agravantes, que causam maior ressecamento e congestão nas vias aéreas. No frio, é comum que as pessoas mantenham os ambientes mais fechados, o que facilita a propagação dos germes. Por fim, os casacos que ficam guardados durante todo o ano – e que podem se transformar em colônias para ácaros e fungos – são retirados dos armários e colocados em uso.
7 dicas para aliviar os sintomas
Confira as dicas do Dr Fabrízio Ricci Romano, para aliviar os sintomas da rinite alérgica;
1) Para diminuir o desconforto causado pela rinite e “driblar” o clima seco e frio: vale lavar as narinas com soro fisiológico
2) Umidificar o ambiente com umidificadores de ar ou mesmo bacias de água. “Mas temos que tomar cuidado para não exagerar, pois o ambiente muito úmido favorece a proliferação de ácaros e de mofo”, alerta o especialista.
3) Manter os ambientes limpos
4) Trocar os lençóis de cama uma vez por semana e lavar todas as roupas de inverno antes de serem usadas
5) Deixar as janelas abertas para o ar circular no ambiente
6) Evitar poluição, fumaça de cigarro e outros odores fortes, como perfumes e produtos de limpeza
7) Hidratar-se e alimentar-se bem.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *