fbpx
Monday, August 10, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Devo ou não adiar a Gravidez devido ao Surto de Microcefalia?

O período de gravidez é muito especial para as mulheres, afinal gerar uma nova vida transforma a rotina do público feminino….

By Redação , in News & Trends Saúde & Bem-estar , at 15/03/2016

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O período de gravidez é muito especial para as mulheres, afinal gerar uma nova vida transforma a rotina do público feminino. Porém, com o crescente surto de casos de microcefalia no Brasil, muitas mulheres estão adiando o sonho de ser mãe para evitar que seu bebê seja afetado por este problema. Mas afinal, neste período a melhor opção é evitar uma gravidez?

Segundo muitos especialistas, o número de pacientes afetados pelo Zika Vírus é muito grande, portanto, o melhor recurso para conter os casos de microcefalia no país é sim evitar uma gestação durante os próximos meses, principalmente quem mora em regiões endêmicas.

Essa doença causa a má formação congênita em que o cérebro não se desenvolve de forma normal e, muitas vezes, pode provocar o retardamento mental. No ano de 2015, foram registrados cerca de 1.200 casos em todo o país em diversos estados.

Após investigações, o Ministério da Saúde confirmou a ligação entre a epidemia de microcefalia no Nordeste à infecção pelo zika vírus, que é transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti, o mesmo mosquito responsável pela transmissão da dengue e também da febre chigkungunya.

Ainda não foi identificado como esse vírus atua no organismo, como ataca o sistema nervoso dos fetos e o período de maior vulnerabilidade para as gestantes. A maior probabilidade é que o risco ocorra ainda no primeiro trimestre da gestação, período em que o sistema neurológico do feto está em formação. “Para as mulheres que desejam engravidar, se possível, a melhor saída é planejar uma gestação, pois, ainda não foram confirmadas as causas reais para o surto de microcefalia no país. É preciso ter cautela e se prevenir para que a saúde do bebê não seja afetada. É importante verificar com seu médico quais as melhores opções antes de engravidar”, explica Erica Mantelli Ginecologista e Obstetra pós-graduada em Sexolgia pela Universidade de São Paulo (USP).

Como a doença não depende muito de hábitos, como por exemplo, uma doença sexualmente transmissível, em que é possível utilizar o preservativo para se prevenir, no caso do zika, dengue ou chikungunya, é muito mais complicado, pois, ainda não foram identificados os períodos de risco.

Outra opção é aguardar alguns meses para que se obtenham mais informações sobre o vírus para desta maneira poder tomar medidas antes da gestação.

Muitos especialistas defendem que a atitude de maior prudência, neste momento, é evitar a gravidez, independente da região em que a mulher reside. Até que o panorama desta epidemia esteja mais bem delineado é recomendada uma medida preventiva evitando a gestação.

Como ainda não existe uma vacina para prevenir e algum tratamento especializado para esses casos, apenas terapias de suporte, as sequelas para as crianças são para a vida toda, ou seja, é melhor ponderar as opções antes de engravidar.

 “Para as mulheres que já estão grávidas as principais medidas para se proteger do zika vírus é eliminar todos os criadouros dos mosquitos e usar repelente para cobrir todo o corpo, além de usar roupas que evitam muita exposição do corpo. E, principalmente evitar viajar para as zonas de maior risco”, recomenda a ginecologista.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *