fbpx
Saturday, August 8, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Espiral do Silêncio: você é vítima dela!

Espiral do Silêncio: você é vítima dela! Baseada na hipótese de que as pessoas tendem a se calar quando sua…

By Redação , in Coluna , at 14/08/2014 Tags:,

SPTimes_Testeira_Claudia_Giron_Munck

Espiral do Silêncio: você é vítima dela!

Baseada na hipótese de que as pessoas tendem a se calar quando sua opinião é contrária à maioria, a Espiral do Silêncio é uma das teorias da comunicação. Veja como isso interfere em sua vida…

Em um ônibus lotado de corintianos, você entraria vestindo a camisa do Palmeiras?

Baseada na hipótese de que as pessoas tendem a se calar quando sua opinião é contrária à maioria, a Espiral do Silêncio é uma das teorias da comunicação. Ela foi desenvolvida nos anos 70, por Elisabeth Noelle-Neumann, uma socióloga alemã.

O exemplo acima é extremista porque, infelizmente, o silêncio se dá por medo da violência. Porém, outros casos praticamente imperceptíveis ocorrem com você cotidianamente. Que tal conhecer para prevenir?

Alguma vez você esteve conversando com um grupo de colegas (no trabalho, por exemplo) e eles começaram um assunto sobre o qual não concordava ou não tinha afinidade e você simplesmente se calou, seja para não gerar conflito, por se envergonhar ou por não saber como falar? Pode ser desde um bate-papo sobre o Big Brother até a opinião sobre um partido político ou uma religião. Pois é, você já foi vítima da Espiral do Silêncio.

Elisabeth Noelle-Neumann começa essa teoria ao observar a mudança de opinião em uma eleição. Estudos revelaram que muitas pessoas mudaram seu voto para se aproximar de opiniões que achavam dominantes, ou seja, para votar em um partido que estava ganhando ou no qual um grupo em especial iria votar. Ela percebeu que as pessoas têm tendência a se expressar menos quando pensam que podem ser minoria ou tratadas com desdém.

O professor Antonio Hohlfeldt, da PUC do Rio Grande do Sul diz que “ao perceberem ou imaginarem que a maioria das pessoas pensa diferente, essas pessoas acabam, num primeiro momento, por se calarem e, posteriormente, a adaptarem, ainda que muitas vezes apenas verbalmente, suas opiniões às do que elas imaginam ser a maioria”.

Esse fenômeno sufoca a diversidade e o pensamento epistêmico porque permite que apenas um ponto de vista reine absoluto. Calar-se apenas por pensar diferente estagna o desenvolvimento racional e dá poder a manipulação.

Existem momentos que devemos nos calar e refletir, mas há muitos outros em que a sua opinião, por menor que pareça, pode ser importante. O mundo precisa de novas ideias contrárias a alguns pensamentos globais. É necessário que sejamos como o sal, que independente de onde é colocado deixa o seu tempero.

Pensar ou agir diferente não é vergonha, é virtude. Por isso, em vez de se calar, abra um diálogo. Se precisar de inspiração, aí vai uma ajudinha:

– Galileu Galilei foi o único a afirmar que a Terra girava em torno do Sol, enquanto o mundo inteiro defendia o contrário.

– O cristianismo foi disseminado porque Paulo e outros apóstolos ousaram falar de Jesus para povos pagãos, que eram todo o resto do mundo.

– Martin Luther King ousou dizer “Eu tenho um sonho”!

__________________________________________________________________________________________________

Claudia Giron Munck é Publicitária, Relações Públicas, especializada em Marketing e Mídias Digitais. Atua na área de Comunicação do Sesc SP e é Coordenadora Editorial da Revista Gente Nova.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *