-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-

Evento debate América Latina e Caribe, região com maior disponibilidade de água doce no mundo

em News & Trends por

Com um chamado a fazer do acesso à água e ao saneamento de qualidade um ponto central da agenda de desenvolvimento global, teve início em Brasília o Fórum Mundial da Água 2018. O Fórum reúne a cada três anos os principais especialistas em água e saneamento dos setores governamental, privado, sociedade civil e acadêmico.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) coordenou o trabalho do Processo Regional das Américas que representa a voz do continente durante o Fórum. Como resultado desse processo, a grande maioria dos atores-chave em água e saneamento tiveram voz e presença no Fórum.

O BID contou com a colaboração de órgãos como o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA em sua sigla em inglês), o Programa Hidrológico Internacional da UNESCO, a Associação Nacional de Empresas de Água e Saneamento do México A.C. (ANEAS), a Global Water Partnership e o Banco de Desenvolvimento do Caribe (CDB em sua sigla em inglês); e, na elaboração dos estudos regionais, participaram a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e a Universidad de los Andes.

No âmbito do Processo Regional das Américas, foram desenvolvidos debates tendo como eixo diversos temas, como por exemplo a água como força de bem-estar nas Américas: como transformar os serviços de água e saneamento em um fator de desenvolvimento econômico sustentável.

Além disso, o processo também pensa como construir resiliência e redução de riscos através de uma infraestrutura verde nas Américas; desafios e oportunidades atuais no setor de água para a segurança alimentar e o desenvolvimento rural nas Américas; e os avanços em serviços eficientes de água e saneamento nas Américas.

Os debates também incluem os fundos de água, mecanismos financeiros para a conservação de bacias hidrográficas por meio de soluções baseadas na natureza, bem como o financiamento para o desenvolvimento, incluindo os mecanismos financeiros inovadores para a Agenda 2030.

O vice-presidente de países do BID, Alexandre Meira da Rosa, que liderou a delegação do BID no Fórum, destacou a importância de proteger os recursos hídricos da região, não só para o bem-estar dos latino-americanos e caribenhos, mas também por sua importância econômica.

“Cerca de 70 por cento da eletricidade que consumimos provêm da geração hidrelétrica, mais que qualquer outra região do mundo. Muitos de nossos principais produtos de exportação dependem do fluxo regular e suficiente de água”, disse ele.

Saiba mais clicando aqui.

loading...
Tags:

Comentários no Facebook

Últimos de News & Trends

Ele era.

Ele era o herói. O dono da capa, que voava e fazia

A mulher que ri

Nada de engraçado acontece numa fila de supermercado. Nada. Mesmo que você

Relâmpago de troco

Não acreditem nessa história, meu senhor e minha senhora, de que a
Voltar p/ Capa