fbpx
Tuesday, July 14, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Existe um divórcio divertido?

Primeiro vem o amor, depois o casamento, e então – uma grande festa de divórcio? Os organizadores de eventos anunciam…

By Redação , in Cultura e Entretenimento Educação e Comportamento News & Trends , at 03/09/2014 Tags:

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Primeiro vem o amor, depois o casamento, e então – uma grande festa de divórcio?

Os organizadores de eventos anunciam o serviço em quase todas as grandes cidades e em sites como o divorcepartyideas.com. O conteúdo dos serviços vai desde jogos para brincar com o divórcio até presentes eróticos (os chamados adult toys). Talvez por refletir que os casamentos são todos sobre a noiva, a maioria das festas de divórcio é voltada para as mulheres. Os próprios organizadores desses eventos dizem que os pedidos vêm majoritariamente de mulheres.

Jana Peters, a gerente da comunidade chamada Display Group, uma empresa de produção de eventos com sede em Detroit, tem notado um crescente interesse em fazer as festas de divórcio. “Essas celebrações ainda não têm a natureza competitiva dos casamentos”, disse Peters. Devido à natureza dolorosa do divórcio, ela não previu que houvesse uma mudança tão cedo. Ainda assim, o rápido aumento da demanda levou a especular que “elas podem se tornar tão comuns quanto uma festa de noivado”.

Richard O’Malley, um produtor de evento especial que trabalha em Nova York e em Nova Jersey, concorda que os eventos ainda não são tão comuns ou caros, como casamentos, mas vê uma tendência cada vez mais elaborada – e cara – das festas de divórcio. “Eu tive um cliente que optou por dar um ‘casamento reverso’ para celebrar seu divórcio. Foi muito diferente; ela fez uma cerimônia na qual ela ‘voltava’ para o pai. A recepção foi um jantar com direito a dança e um discurso de sua dama de honra. Ela chegou a dar aos convidados as fotos dos presentes que havia ganhado no casamento original, de modo que eles pudessem ‘recebê-los de volta’, também.”

“Apesar de tudo, ela provavelmente gastou cerca de 25 mil dólares no evento. E o valor não inclui o custo da nova Harley que ela saiu em disparada após a recepção com um frase ‘recém divorciada’ nas costas”, conta o produtor ao revelar que a maioria das festas de divórcio varia entre 2 mil a 10 mil dólares.

Mesmo uma festa de divórcio barata pode parecer extrema para alguns, ao considerar que um divórcio pode ser caro. A advogadoa de Direito de Família, Bari Zell Weinberger, proprietária e sócia-gerente da Weinberger Law Group, em Nova Jersey, diz que mesmo amigável, os divórcios não contestados podem custar milhares de dólares ao casal.

“Para muitas pessoas, uma festa de divórcio pode servir como um marcador de uma importante transição de uma relação que não deu certo para um lugar de oportunidade”, diz Jonathan Alpert, psicoterapeuta e autor do livro Be Fearless: Change Your Life in 28 Days. Ele acrescenta que muitos de seus clientes que deram festas de divórcio estão procurando uma maneira simbólica para seguir em frente. “Em geral, o impacto emocional é positivo: as pessoas estão cercadas pelo apoio dos amigos, desfrutam de uma boa comida , bebidas e diversão. Elas experimentam uma espécie de catarse depois de um período muito difícil em suas vidas”, Jonathan explica.

Jen Kelman, especialista em relacionamento, discorda do posicionamento do psicoterapeuta Jonathan Alpert. “Muitas vezes, as festas de divórcio dão uma sensação de liberdade recém-descoberta, bem como o desejo de ‘mostrar’ isso ao ex-cônjuge, as quais não são formas positivas de seguir em frente, na minha opinião”. “Para muitas pessoas, eu acho que as festas de divórcio são uma tentativa de provar a todos que elas estão bem, mesmo que elas não estejam. Essa sensação de liberdade, em outras palavras, pode ser prematura e não é totalmente confiável”, comenta Jen Kelman.

Alpert e Kelman concordam que as festas de divórcio não são uma boa ideia quando as crianças estão envolvidas. “Um divórcio pode ser bom para o casal, mas é uma grande ruptura na vida de uma criança”, diz Alpert. “Não transforme a festa em uma possível situação desconfortável para o seu filho.”

Claro que existem outros jeitos menos caros de “celebrar” o divórcio. Alpert recomenda que os pacientes se livrem de objetos que remetam ao casamento – fotos, cartas de amor, lembranças, etc.

Depois de um divórcio doloroso e inesperado, Tomi Tuel – analista de orçamento do estado da Califórnia e autora do livro 101 Things I Learned After My Divorce (101 Coisas que eu aprendi depois do meu divórcio) – diz que quando o divórcio se tornou decisivo, ela foi para casa e escreveu dezenas de palavras pouco educadas sobre o ex nas paredes do banheiro. Então, depois de algumas lágrimas e um brinde de suco de laranja para si mesma, ela pintou as paredes novamente e cobriu todas as emoções negativas, literal e figurativamente.

Considerando o quão dolorosos mesmo os divórcios mais amigáveis ​​podem ser, a escala Holmes-Rahe de classificação de ajustamento social classifica o divórcio como o segundo evento da vida mais estressante que alguém pode suportar, superado apenas pela morte de um dos cônjuges. As comemorações como a que Tomi Tuel fez continuam sendo a melhor maneira de celebrar o divórcio.

Ou a forma mais antiga: tomar um porre.

© 2014, Newsweek.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *