fbpx
Saturday, July 11, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Familiares devem redobrar cuidados com paciente com câncer durante a pandemia

A pandemia do novo coronavírus tem mudado a rotina de todos. As pessoas também aumentaram os cuidados com a saúde…

By Redação , in Brasil Mundo News & Trends São Paulo , at 22/04/2020

A pandemia do novo coronavírus tem mudado a rotina de todos. As pessoas também aumentaram os cuidados com a saúde para evitar a transmissão da Covid-19. A doença pode ainda ser pior para pessoas acima de 60 anos, com doenças crônicas – como diabetes, doenças cardiovasculares e respiratórias – e com imunidade baixa.

Ramon Andrade de Mello, médico oncologista, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e da Escola de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal), ressalta que os cuidados com os pacientes com câncer devem ser redobrados: “Esse grupo corre o risco de ter complicações graves se for contaminado pela Covid-19. Por isso, os familiares dos pacientes em tratamentos de quimioterapia, radioterapia que fazem uso de medicamentos imunossupressores, além daqueles que tenham feito cirurgia há menos de um mês, devem tomar alguns cuidados”.

O especialista explica que o cuidador ou familiar deve ficar atento com a higiene da casa diariamente. Quando isso não for possível, algumas medidas ajudam reduzir os riscos de contaminação. Por isso, é preciso desinfetar as superfícies que são tocadas com maior frequência como mesas, bancadas, superfícies do banheiro e cozinha, maçanetas, entre outras. “Assim como todos estão deixando os sapatos na entrada da moradia, o mesmo procedimento é imprescindível para as famílias dos pacientes oncológicos. Também é preciso limpar as compras antes delas serem guardadas”, esclarece o professor de oncologia da Unifesp.

“Se o familiar ou cuidador apresentar qualquer sintoma de gripe, não deve ter nenhum contato com o paciente”, ressalta o médico. Ele lembra da importância de trocar de roupa e lavar bem as mãos, e até de tomar banho, antes do contato com a pessoa com doença oncológica. “Recomendo ainda o uso de máscara, mesmo em casa, para esses pacientes, se não for possível separar o familiar ou cuidador com sintomas de gripe. Mas o ideal é o isolamento”, defende o especialista.

Sobre Ramon Andrade de Mello

Oncologista clínico e professor adjunto de Cancerologia Clínica da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ramon Andrade de Mello tem pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Câncer de Pulmão no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra) e doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).

O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é membro do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology – ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology – ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2026 – 2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO). 

O oncologista é do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital 9 de Julho, em São Paulo, SP, e do Centro de Diagnóstico da Unimed (CDU), em Bauru (SP).

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *