fbpx
Friday, August 14, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Minha opinião sobre o cabelo da minha mulher

By Redação , in Cássio Zanatta Geral News & Trends , at 21/01/2020 Tags:

Beatriz pede minha opinião: se deve cortar o cabelo bem curto ou não.

Epa. Atenção. Estou pisando em terreno minado, bem sei. O homem que não atenta para a responsabilidade (e perigo) da situação jamais vai entender como pode o leite vir da vaca, milho virar pipoca ou como é possível estar chovendo e fazendo sol ao mesmo tempo.

O momento é grave. Exige sensibilidade e concentração na resposta. Jamais, por nadica neste mundo, comente o corte com um: “Gostava mais antes”. No compêndio dos grandes erros masculinos, esse fica apenas um ponto abaixo do “Minha nova secretária é Miss Bertioga”. Não tente sair pela tangente: um “Você que sabe, amor” revela uma personalidade fraca, para não dizer covarde. Pense bem antes de cravar o palpite. Nos cabelos da mulher mora o perigo e a salvação.

Começo meu parecer com uma constatação: seu cabelo é tão bonito. Moreno, bem brasileiro, desce tranquilo, contorna as orelhas como as curvas da estrada que desce a serra, e repousa nos ombros. Quando bate sol, ganha lá umas luzes; quando vem a noite, tem a capacidade de trocar ideias com uma ou outra estrela. É suave ao toque, ao mesmo tempo em que tem personalidade, dessa substância deve ter saído a doçura e determinação de nossos filhos.

Com o cabelo curto, seu rosto ganha um enquadramento moderno. E o principal: sua nuca é revelada ao mundo, e desde a descoberta da clarineta por Mozart o mundo exige novas e belas revelações. O vento brinca com os fios, que ora têm a vista da paisagem à esquerda, ora da direita, e nesse vai e vem dão muitas risadas. 

Já fui atropelado três vezes. É claro que você pergunta “mas o que isso tem a ver com o assunto?” Calma: é minha tentativa de defesa, de argumentar que sou meio avoado e desatento quando menos devia. E se não percebo um carro se aproximando, um ou outro corte de cabelo mais sutil pode passar batido. Não é indiferença, e sim uma estranha combinação de miopia, palermice e de como as coisas são de fato bacanas à nossa volta.

Seguindo a avaliação, acrescento que não gostaria muito que o pintasse, fizesse reflexo, nada; deixe-o como é, natural, com alguns fios brancos que, afinal, contam uma história que é minha também. No mais, acho cabelo curtinho mais prático no verão (o travesseiro também deve achar), e você vai continuar linda. Portanto, sou favorável ao corte mais voraz.  

E assim digo a ela. Sereno, mas decidido. Olho no olho. Ela sorri, ponto para mim. Se eu acertar na escolha do vinho no jantar, o amor em paz reinará sobre o mundo.

Opinião muito contrária tem o vento, que não vai achar tanta graça em ter menos com que brincar.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *