fbpx
Friday, June 5, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Novas frotas poderão gerar 98 milhões de terabytes de dados por ano até 2026, de acordo com a pesquisa de MRO da Oliver Wyman

Os designs mais recentes de aeronaves que ingressam agora nas frotas são equipados com tecnologias que podem oferecer a coleta…

By admin , in Tecnologia e Ciência , at 05/04/2016 Tags:

Os designs mais recentes de aeronaves que ingressam agora nas frotas são
equipados com tecnologias que podem oferecer a coleta e transmissão de
dados sem precedentes a nível do sistema e de partes, de acordo com a
pesquisa de MRO
(manutenção, reparo e revisão) anual da Oliver Wyman. A frota mundial
poderá gerar mais de 98 milhões de terabytes de dados por ano até 2026,
de acordo com estimativas de previsão, criando novas oportunidades para
uma manutenção mais prognóstica.

Esta Publicação Smart News contém multimédia. Ver aqui a publicação na íntegra:
http://www.businesswire.com/news/home/20160405006820/pt/

(Graphic: Business Wire)

(Graphic: Business Wire)

A pesquisa, que foi lançada na Conferência de MRO Américas da Aviation
Week, examina uma variedade de temas de tecnologia e inovação, incluindo
como as operadoras, MROs e OEMs (fabricantes de equipamentos originais)estão adotando, utilizando e investindo em recursos de “big data”
(ou megadados) – especialmente orientados para os sistemas de
gerenciamento de saúde da aeronave (AHM) e de manutenção preditiva (PM).

“Muitas operadoras estão desfrutando de melhores margens e também
aumentando os investimentos em novas aviões, apesar dos custos atuais
baixos dos combustíveis e impacto sobre a nova economia das aeronaves”,
disse Tim Hoyland, parceiro da Oliver Wyman e coautor do relatório.
“Estas novas aeronaves de próxima geração proporcionam um sólido fluxo
de dados, que vai permitir às operadoras e fornecedores prever, planejar
e implantar melhor os recursos das aeronaves. Entretanto, o setor
enfrenta uma verdadeira desconexão sobre como integrar esses dados em
uma infraestrutura de TI em envelhecimento em muitas companhias aéreas.
Até que isso seja solucionado, o poder real destes dados não poderá ser
aproveitado.”

Os principais destaques da pesquisa incluem:

Embora a adoção do AHM e PM esteja crescendo, a sofisticação a nível do
usuário permanece instável e/ou orientada para soluções pontuais:

  • Cinquenta e seis por cento utilizam o AHM para uma parte ou toda a sua
    frota de aeronaves. A aplicação mais comum do AHM é a monitoração de
    condição de motor (ECM), uma oferta de OEM de longa data. A utilização
    é menos difundida dentro das aplicações de manutenção de estruturas e
    de componentes, áreas nas quais terceiros ou MROs de empresas são os
    fornecedores primários mais comuns.
  • A adoção de manutenção preditiva fica atrás do AHM em apenas 44%, com
    menos da metade desses entrevistados aplicando a PM em todas as
    aeronaves.
  • Cinquenta e nove por cento dos entrevistados de companhias aéreas
    planejam restringir o uso do AHM a pequenos subconjuntos de dados,
    diretamente ou através de terceiros, em vez de prosseguir com uma
    abordagem ampla e abrangente. Para aqueles que utilizam a PM, 83% se
    concentram em subconjuntos estreitos, enquanto apenas um em cada cinco
    esperam aplicar técnicas preditivas para todos os dados disponíveis.
  • O projeto de negócios para uma implantação em ampla escala de soluções
    de “big data” permanece indefinido para muitos entrevistados. Embora
    63% citem melhorias de confiabilidade do AHM e 30% para a PM, cerca de
    1/3 dos entrevistados ou menos estão vendo atualmente uma dura
    economia de custos em dólar em todas as despesas com motores,
    componentes e fuselagem.
  • Além disso, muitas operadoras têm outras prioridades tecnológicas
    imediatas. Elas relatam que uma grande parte do seu orçamento de TI
    está comprometida com iniciativas, como reparo e manutenção de
    sistemas existentes (29%), migração para novo software (19%),
    desenvolvimento/melhoria do sistema de inventário (9%), introdução de
    novo hardware para permitir operações de linha de frente e outras
    iniciativas tecnológicas (24%). Segundo os entrevistados, apenas 8%
    dos orçamentos de TI de companhias aéreas são alocados para o
    desenvolvimento/melhoria dos sistemas de AHM ou PM.
  • Apesar disso, os entrevistados disseram que planejam investir mais
    nessas tecnologias e esperam que elas se tornam uma parte essencial da
    tomada de decisão no futuro.

Em termos de segmentos de reposição, os autores esperam que:

  • Os OEMs continuem a pressionar a adoção, investir no entendimento do
    potencial e utilização avançada de tecnologia em companhias aéreas.
  • As operadoras devem se tornar mais decididas e orientadas para
    resultados em seus programas de “big data”, atrair a participação de
    um grupo representativo das partes interessadas para entender e dar
    prioridade aos dados disponíveis e desenvolver projetos de negócios
    mais robustos que suportem uma adoção maior.
  • Outros fornecedores, incluindo os MROs, consultorias e empresas de TI,
    buscarão nichos sustentáveis na cadeia de valor em torno do “big
    data”. Isso pode incluir parcerias ou o desenvolvimento da capacidade
    interna para criar pacotes de serviços centrados em dados – coleta,
    análise, elaboração de relatórios, apoio à decisão e conformidade –
    com a manutenção de contato tradicional.

“O desafio óbvio para as operadoras é uma execução focada que gere
melhorias tangíveis e demonstráveis em custos e confiabilidade. Para os
OEMs, acelerar a adoção e os investimentos rentáveis em monetização na
manutenção preditiva será um desafio significativo”, disse Chris
Spafford, parceiro da Oliver Wyman e coautor do relatório.

Para baixar o relatório completo, clique aqui.

Sobre a pesquisa de MRO

Entrando em sua segunda década, a pesquisa anual de MRO (manutenção,
reparo e revisão) realizada pela Oliver Wyman é um padrão da indústria
para a obtenção de informações sobre a mudança de tendências no setor de
MRO. A pesquisa consulta líderes na indústria de MRO, incluindo altos
executivos de operações de companhias aéreas, departamentos de compras e
de engenharia, fornecedores de manutenção empregados e independentes,
divisões de reposição de OEM e profissionais de financiamento e leasing.
Nossos entrevistados estão esmagadoramente nos cargos de executivos de
primeira linha e de executivos seniores e representam um grupo
representativo do setor.

Os resultados da pesquisa de MRO também incluem dados de previsão de
nossa 2016-2025 Fleet and MRO Market Forecast (acessewww.PlaneStats.com/betterinsight
para mais informações sobre os dados de previsão).

Sobre a Oliver Wyman

Oliver Wyman é uma empresa com liderança mundial em consultoria de
gestão. Com escritórios em mais de 50 cidades em 26 países, a Oliver
Wyman combina profundo conhecimento da indústria com expertise
especializada em estratégia, operações, gestão de risco e transformação
de empresas. Os 3.700 profissionais da empresa ajudam clientes a
aprimorar seus negócios, melhorar suas operações e o perfil de risco e
acelerar o seu desempenho organizacional para aproveitar as
oportunidades mais atraentes. Oliver Wyman é uma subsidiária de
propriedade integral da Marsh & McLennan Companies [NYSE: MMC]. Para
mais informações, acesse www.oliverwyman.com. Siga
a Oliver Wyman no Twitter @OliverWyman.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada.
As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se
referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que
tem efeito legal.

Contato:

Oliver Wyman
Francine Minadeo: 212-345-6417
[email protected]

Fonte: BUSINESS WIRE

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *