fbpx
Friday, August 14, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Novo relatório do Banco Mundial analisa a pobreza crônica na América Latina

Um em cada cinco latino-americanos, ou cerca de 130 milhões de pessoas, não conheceram nada mais do que a pobreza,…

By Redação , in Brasil Mundo ONU The São Paulo Times , at 11/03/2015

Foto: Wikimeda
Foto: Wikimeda

Um em cada cinco latino-americanos, ou cerca de 130 milhões de pessoas, não conheceram nada mais do que a pobreza, tendo sobrevivido com menos de quatro dólares por dia durante toda a sua vida. Estes são os indivíduos cronicamente pobres da América Latina, que permaneceram assim apesar das iniciativas sem precedentes de combate à pobreza na região desde a virada do século 20.

A situação dessas pessoas está se tornando mais precária à medida que diminui o avanço econômico que contribuiu de modo significativo para a redução da pobreza. O crescimento do PIB regional sofreu uma desaceleração de cerca de 6% em 2010 para aproximadamente 0,8% em 2014. Essa contração irá provavelmente suprimir uma das mais importantes causas da forte redução da pobreza: um mercado de trabalho de melhor qualidade.

O novo relatório do Banco Mundial intitulado Deixados para trás: a pobreza crônica na América Latina e no Caribe faz uma análise detalhada dos cronicamente pobres na América Latina, no sentido de explicitar quem são e onde estão localizados, e como as políticas e o modo de pensar precisarão mudar para que possam ser assistidos de forma mais eficaz.

“A pobreza existe e é persistente devido a restrições no âmbito familiar e fora dele, que abrangem tudo, desde a falta de qualificação e motivação profissional adequada, até a ausência de serviços básicos, como água potável”, afirmou o vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina e o Caribe, Jorge Familiar. “Melhor dizendo, ajudar os indivíduos é necessário, mas não é suficiente. Um contexto propício que ofereça os serviços apropriados também é essencial. Portanto, as políticas sociais e o desenvolvimento regional precisam ser complementares.”

Mas quem são os pobres crônicos? Responder a essa pergunta tem sido sempre difícil devido à falta de rastreamento de dados sobre os pobres ao longo do tempo. Contudo, o relatório do Banco Mundial aplica uma nova metodologia para esclarecer quais são as pessoas que permaneceram pobres na América Latina.

Saiba mais sobre este assunto clicando aqui.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *