fbpx
Thursday, August 6, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


O frasco que perfuma

O frasco que perfuma Compreendo cada segundo de sua lógica. Sei exatamente o que você pensa. Radical demais, claro. Essa…

By Redação , in Coluna , at 20/07/2015

Marco

O frasco que perfuma

Compreendo cada segundo de sua lógica. Sei exatamente o que você pensa. Radical demais, claro. Essa compatibilidade toda… e o contexto do pesado legado que carregamos.

Que festa! Carrego minhas flores pensando viver uma noite de emoção verdadeira. Entrego-lhe uma, duas, a última porque não? Termino a noite nos braços da mais incrível guerreira, vivendo fantástica emoção, que caberia em toda uma vida.

Passam-se dias e você não sai da minha cabeça. De repente o mundo escurece e você não me atende mais. Sei que existe muita coragem. Claro, uma guerreira… impossível não brotar coragem na profundidade negra e iluminada deste seu olhar. Faz sentido bater as asas neste céu perfeito? Assustada, minha guerreira não quis se jogar. Tão incrível que repele: “Acho que não devo brincar com fogo!” A opção é pela volta à rotina. É a felicidade prevista, limitada, doutrinada. Sucumbe ao passado.

Ao errado, quero acreditar. Relato para um amigo e escuto um “deixa estar que não vale a pena”. Consolo-me com a idéia de que se a relação com o meu passado (também errado passado) compromete meu futuro contigo – devo mesmo ceifar meus planos para você?

Também pela delicadeza de seus movimentos e a amplitude do seu sorriso, mas a essência é que mata. Onde estarão outros perfumes depois de ter provado do frasco? Nada é mais valioso que o frasco que perfuma.

Um pensamento tradicional questionaria a racionalidade. Diria que conhecendo os objetos desta decisão, colocaria em cheque os seres e sentimentos envolvidos. Entretanto, algo me diz que a linearidade não se aplica para a gente. Não poderia ser tão simples assim… sabendo das voltas que o mundo dá: impossível não ter algumas certezas!

__________________________________________________________________________________________________________
Marco Antônio Guile escritor mineiro que retrata em crônicas fictícias, as incontroláveis sensações que acompanham descompassos cardíacos nos homens. Qualquer semelhança com histórias reais é mera coincidência… © 2014.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *