fbpx
Saturday, January 23, 2021
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


O Inferno de Dante na visão de Rauschenberg pela primeira vez no Brasil

O Centro Cultural Correios São Paulo apresenta a exposição Robert Rauschenberg – O Inferno de Dante, de 23 de janeiro a 22 de…

By Redação , in São Paulo The São Paulo Times , at 25/01/2015

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Centro Cultural Correios São Paulo apresenta a exposição Robert Rauschenberg – O Inferno de Dante, de 23 de janeiro a 22 de março de 2015. A mostra apresenta ao público 34 litogravuras produzidas pelo artista texano Robert Rauschenberg que retratam a melancolia vivida por Dante em seu mais famoso poema. Buscando a total interatividade com os visitantes, a exposição possibilitará que o público ouça os 34 cantos de Dante, além de apresentar 34 sacos espalhados pelo Centro Cultural representando fardos, que poderão ser movidos de lugar. A mostra é gratuita, tem curadoria de Claudia Lopes e patrocínio dos Correios.

A exposição Robert Rauschenberg – O Inferno de Dante chega a São Paulo para mexer com os sentidos e sensações dos visitantes. Inédita no Brasil, a mostra apresenta 34 litogravuras do artista texano Robert Rauschenberg produzidas com base nos 34 cantos (poemas) que compõem a primeira parte do livro “A Divina Comédia”, do escritor italiano Dante Aligheri, intitulada “O Inferno”. Nesta exposição, o público será levado a questionamentos sobre o comportamento social e será instigado a perceber os diversos sentimentos presentes em seus conflitos individuais. Na série produzida por Rauschenberg, o Inferno permeia um estado de espírito, como numa rede que une conquistas à passagem do tempo, ao controle e à liberdade. O Inferno não é perceptível, nem palpável, porém é tangível. Têm dicotomia concomitante de condenar e libertar.

A mostra torna-se muito singular, pois busca despertar no público seu inferno particular. Para isto, a interatividade torna-se a palavra de ordem: são 34 sacos espalhados pelo Centro Cultural que representam fardos. Dentro deles haverá materiais com pesos, medidas, volumes e sons diversificados. Estes sacos poderão ser arrastados, carregados e largados por qualquer lugar da sala expositiva. Além disso, os cantos que inspiraram as obras de Rauschenberg poderão ser ouvidos pelos visitantes através de uma estrutura montada especialmente para este fim. Esta ação visa à inclusão de não videntes na exposição. Foi pensando também na inclusão cultural que as obras presentes na mostra foram dispostas na altura ideal para que cadeirantes e crianças possam apreciar toda a exposição sem dificuldades.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *