fbpx
Sunday, August 9, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Os fatos que Sochi tentou esconder

Um grupo de ativistas locais dos direitos civis levou suas amigas, membros da banda Pussy Riot – um grupo russo…

By Redação , in Mundo News & Trends Política , at 26/02/2014 Tags:, ,

Um grupo de ativistas locais dos direitos civis levou suas amigas, membros da banda Pussy Riot – um grupo russo feminista de punk rock -, em um passeio pelo centro de Sochi. Eles não foram muito longe, carregando suas guitarras penduradas sobre os ombros, quando um grande número de policiais de uma unidade de antiextremista chegou para detê-los.

A justificativa soou peculiar: a banda e os ativistas foram convidados a acompanhar os oficiais até a delegacia como testemunhas de um caso de uma bolsa roubada.

A ordem de prisão veio de oficiais vestidos com roupas civis que estavam no comando da operação. Eles se recusaram a mostrar seus distintivos ou qualquer documento de identificação oficial.

Em poucos minutos, a polícia tinha prendido os braços de todos os detidos na parte de trás de caminhões. “Nunca fui tratada tão violentamente pelos oficiais quanto em Sochi”, declarou Nadezhda Tolokonnikova (um dos membros da banda). “Eles me jogaram no chão com o rosto pra baixo, machucando minhas mãos e joelhos”.

O principal objetivo da visita de Tolokonnikova na cidade de Sochi durante os Jogos Olímpicos de Inverno foi provocativo: no dia em que foi presa, a banda tinha planejado gravar uma nova música ali, ironicamente intitulada “Putin Will Teach You to Love the Motherland” (Putin vai te ensinar a amar a pátria).

“Nossa nova canção é dedicada aos nossos amigos e aos presos políticos da Rússia”, disse Tolokonnikova. “Sochi é o melhor lugar para gritar os nossos protestos porque o mundo inteiro está aqui.”

Os cinco membros da banda e seus amigos de Sochi foram detidos três vezes no curso dos três primeiros dias de sua visita. O Serviço Federal de Segurança detiveram os ativistas e os mantiveram sob custódia por mais de cinco horas por dirigir muito perto da fronteira da Abkházia.

Com milhares de jornalistas estrangeiros em Sochi à procura de histórias, tentar esconder as punks mais famosas do mundo atrás das grades, provavelmente não era a melhor ideia. O presidente Vladimir Putin quer que o mundo se lembre dos Jogos Olímpicos de Sochi pelos esportes, não pelas prisões de dissidentes.

(C) 2014, Newsweek.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *