fbpx
Saturday, February 27, 2021
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Otorrinolaringologista alerta sobre perigos do verão

Verão é sinônimo de praia e piscina. Mas, mesmo com toda a diversão, é preciso tomar cuidado com nariz, ouvido…

By Redação , in Brasil Mundo News & Trends São Paulo , at 16/12/2020

Verão é sinônimo de praia e piscina. Mas, mesmo com toda a diversão, é preciso tomar cuidado com nariz, ouvido e garganta. Clima seco, calor e umidade em excesso, bem comuns nessa época do ano, são prato cheio para o surgimento de inflamações e infecções nestes órgãos, pois eles são sensíveis a mudanças climáticas.

Para quem tem rinite, bronquite e asma, o verão pode vir com pequenos incômodos. Além do clima seco, o cloro da piscina também pode irritar a mucosa das vias respiratórias, facilitando o aparecimento das crises de rinite, sinusite e outras.

Segundo a otorrinolaringologista Milena Costa, para prevenir e/ou ajudar a melhorar os sintomas, é importante beber bastante líquido e manter o nariz limpo e lubrificado. “Lavagem nasal é uma maneira simples de conseguir isso e pode ser feita com soro fisiológico, no banho ou com produtos específicos”, diz a médica

Sorvetes, bebidas e outros alimentos gelados podem causar desconforto para a garganta devido ao contraste em relação à temperatura corporal. Além disso, o uso de ventiladores e ar condicionados se tornam mais frequentes no dia a dia, mas é preciso atenção. “Apesar de refrescar, o uso destes aparelhos em excesso pode ser perigoso para a saúde, pois pode causar o ressecamento da mucosa da garganta, que reduz a produção de secreções e a deixa mais suscetível ao ataque de micro-organismos”, explica Milena Costa.

No caso dos ouvidos, a grande vilã é a otite externa, também conhecida como otite do nadador ou de verão, que é um processo inflamatório causado por contaminação de bactérias ou fungos. “Quando alguém mergulha, qualquer ferimento na pele, além da umidade local retida no canal auditivo, pode servir de abertura para micro-organismos. Essas lesões geralmente podem ser agravadas quando os pacientes introduzem grampos, tampas de canetas, unhas ou outros objetos cortantes no canal auditivo”, diz Milena. Entre os sintomas da otite, estão dor intensa, coceira e sensação de entupimento.

A médica alerta que em caso de dores, não se deve pingar remédios caseiros no ouvido e é necessário procurar um otorrinolaringologista para obter a orientação adequada. Caso o problema persista, o tratamento deve ser feito com remédios e acompanhamento profissional.

Sobre a Dra. Milena Costa

Médica otorrinolaringologista formada pela Faculdade de Medicina de Taubaté, com residência médica em Otorrinolaringologia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e fellowship de pesquisa em Rinologia pela Stanford University, na Califórnia.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *