fbpx
Friday, September 25, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Poesias para sexta-feira

Agora o The São Paulo Times conta com uma coluna dedicada a poesias chamada “Poética Urbana”. Ela será publicada toda…

By Redação , in Coluna , at 07/08/2015

poetica

Agora o The São Paulo Times conta com uma coluna dedicada a poesias chamada “Poética Urbana”.
Ela será publicada toda sexta-feira. Para colaborar envie sua poesia para [email protected]


(Rubens Jardim)

O poema é uma casa aberta

sem portas, sem telhado, sem

vigas, sem laje e sem paredes.

Nessa casa, sempre em construção

o poeta projeta o poema

como se fosse um filme

em solitária cela

em solidária sala.

—-

CONFIDÊNCIA
(Rubens Jardim)

incapaz de ser o capataz

de mim mesmo, vivo assim

desarmado. minha alma

é uma poça d’água

mas reflete o mundo.

—-

MINHA SINA
(Rubens Jardim)

as coisas, todas as coisas grudam em mim

que nem chiclete. e eu me desprendo delas

–da materialidade delas, da forma, da cor,

do peso. ou da leveza insustentável: pluma de

ganso no inverno. mas não consigo me livrar

do ressoar do sino, nem da minha sina de guardar

minha alma é um galpão lotado de ausências!

—-

POEMA MARINHO
(Rubens Jardim)

Esqueci um poema dentro do mar

Ele nasceu das águas, das algas,

dos silêncios e dos murmúrios

de tanto amar. Levou-o os ventos

alíseos, as brisas marinhas, as massas

de ar. E agora, dentro de uma concha

quase perdida na areia da praia,

o poema esquecido quer ser ouvido.

Mas o silêncio encobre a voz da palavra

—-


()

—-


()

__________________________________________________________________________________________________________
Poética Urbana. © 2014.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *