fbpx
Saturday, August 8, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Que tal uma colmeia no quintal? Entenda o projeto que pretende recuperar abelhas perdidas por todo o mundo

As abelhas estão soltas como moscas. O colapso das colmeias e a epidemia global misteriosa – em que as abelhas…

By Redação , in News & Trends , at 11/07/2014 Tags:

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

As abelhas estão soltas como moscas. O colapso das colmeias e a epidemia global misteriosa – em que as abelhas de repente desaparecem ou morrem – dizimaram mais de 10 milhões de colmeias desde 2007 só na América do Norte. Um grupo internacional de designers e hackers desenvolveu um software open-source – programas gratuito que possui o código-fonte aberto – de uma colmeia “inteligente” para ajudar a desvendar o segredo do desaparecimento de abelhas.

Qualquer um pode baixar o programa Beehives (OSBH) gratuitamente, e as peças podem ser cortadas a partir de uma única folha de madeira por uma máquina de corte controlada chamada de roteador CNC, que é encontrada na maioria das marcenarias. As colmeias demoram somente alguns minutos para serem montadas e não necessitam de pregos ou cola.

O mais recente empreendimento do grupo, que conseguiu dobrar a expectativa de  20 mil dólares, dá um passo mais longe ao acrescentar um sensor que irá acompanhar e registrar variáveis ​​potencialmente nocivas, como umidade, intensidade de luz e temperatura no interior das colmeias.

O projeto é transmitido para uma plataforma on-line chamada Smart Citizen, que permite que os proprietários de colmeia saibam quando as abelhas estão em perigo. A ideia é fazer que as colmeias de baixo custo se espalhem em quintais em todo o mundo, ajudando a atrair a população de abelhas de volta e desenvolver uma rede on-line de dados em tempo real, a fim de que os pesquisadores possam usá-la para descobrir por que as abelhas estão morrendo.

Tristan Copley Smith, cineasta e ativista que co-fundou o programa OSBH, antecipa que o colapso da colônia tem ligação com os inseticidas neonicotinóides – os quais a União Europeia proibiu – à luz de estudos que eles apontam para o aumento de vírus em abelhas.

Essa teoria está em debate, pois um relatório do Departamento de Agricultura dos EUA determinou no ano passado que nenhuma classe única de pesticidas poderia ser inequivocamente culpada pelo colapso da colônia, apontando que a explicação seja uma combinação “complexa” de acontecimentos. As empresas que fabricam os neonicotinóides, inclusive, têm patrocinado uma investigação para defender que os produtos químicos são seguros. Copley Smith, por outro lado, prevê que o projeto de colmeias vai terminar o debate e, possivelmente, salvar as abelhas.

© 2014, Newsweek

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *