fbpx
Monday, November 30, 2020
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Sete passos para mudar a educação nas escolas

Reconhecer os problemas e direcionar os investimentos para soluções que realmente vão fazer a diferença é a primeira etapa para…

By Redação , in Brasil The São Paulo Times , at 17/04/2014 Tags:,

Reconhecer os problemas e direcionar os investimentos para soluções que realmente vão fazer a diferença é a primeira etapa para mudar e melhorar a escola. “O gestor tem que definir prioridades: cobrir a quadra de esportes é uma ação secundária, por exemplo. O mais importante é que ensine os alunos, pois o resultado será percebido nas avaliações, como o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica)”, frisa Michelle de Souza, sócia do Instituto Aquila, consultoria de gestão.

Michelle faz parte da equipe que aplica a metodologia desenvolvida pela Prof. Maria Helena Godoy. Ela comprovou na prática que o que faz a diferença nos resultados pedagógicos de uma rede é a capacidade de gerir e aplicar os recursos na melhoria dos processos. Para aplicar a gestão nas escolas, Michelle indicou sete passos para serem seguidos.

1. Identifique e conheça os problemas:
Parece obvio, mas muitas escolas não sabem identificar os problemas inerentes a elas. Faça um levantamento dos fatos e dados históricos para identificar as diferentes características de um problema. Entenda o quanto cada indicador influencia o desempenho operacional. Fuja dos “achismos”.

2. Defina aonde quer chegar:
Inspire-se na visão de futuro e identifique um resultado de referência, seja ele interno ou externo. Defina metas com objetivo, valor e prazo e as compactue com a equipe.

3. Identifique as reais causas do problema:
Investigue quais os fatores que estão impedindo o alcance dos resultados, por meio de fatos e dados. Convoque pessoas com conhecimento e vivência do problema para as análises e priorize as causas mais impactantes.

4. Defina ações impactantes para o bloqueio das causas priorizadas:
A dica nesse caso é atacar as causas e não os sintomas. Pesquise boas práticas implementadas em outras redes e defina responsáveis e prazos bem estabelecidos. Divulgue as ações e mobilize os envolvidos quanto à sua importância.

5. Acompanhe as ações e resultados:
Defina uma agenda para o acompanhamento e convoque os responsáveis, a fim de verificar o status e andamento de cada ação. Proponha novas alternativas se houver barreiras na implementação e analise o impacto nos resultados. O gestor precisa saber, periodicamente, como andam seus indicadores de resultado.

6. Intervenha ativamente nos desvios:
Não tem como analisar os resultados apenas no final do ano, quando mais nada pode ser feito para revertê-los, portanto, identifique a cada etapa avaliativa quais as metas que não foram alcançadas. Promova encontros com os professores, supervisores para identificar as causas do não aprendizado do aluno e faça o levantamento das causas, definindo ações emergenciais para mudar os resultados na próxima etapa avaliativa.

7. Registre as práticas de sucesso:
Identifique, a cada etapa avaliativa, as metas que foram superadas e verifique com os professores a que eles atribuem esses bons resultados. Faça uma entrevista com os professores e identificar quais as técnicas de aula adotadas por eles. Registre os principais passos destas técnicas e compartilhe com os demais professores. Os bons resultados só serão sustentados se as boas práticas forem identificadas, registradas e disseminadas na escola.

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *