fbpx
Wednesday, March 3, 2021
-Smart Writers & Smart Content & Smart Readers-


Tudo o que você precisa saber para um intercâmbio na Irlanda

A Irlanda é um dos destinos mais procurados por intercambistas que querem aprender e praticar inglês em terras estrangeiras. Segundo…

By Redação , in Brasil Mundo News & Trends , at 14/09/2015

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Irlanda é um dos destinos mais procurados por intercambistas que querem aprender e praticar inglês em terras estrangeiras. Segundo o levantamento da imigração no início de 2015, mais de 10 mil brasileiros vivem no país com visto de estudante. A Ilha de língua inglesa na Europa facilita viagens para conhecer outros países. Entre as vantagens, pode-se citar o visto sem burocracia e o fato de poder trabalhar, sem falar no custo de vida mais barato do que a maioria dos destinos. Em média, os estudantes gastam 600 euros por mês para acomodação, alimentação e transporte. A receptividade do povo, as belezas naturais e a história do país ajudam na hora da escolha.

A partir de outubro deste ano, algumas mudanças acontecem no setor de educação internacional. A reforma publicada pelo Ministério de Educação e Habilidades exige mais planejamento por parte dos intercambistas, mas, por outro lado, cobra das escolas mais organização, segurança financeira e qualidade de ensino. “Seis meses de curso é o tempo considerado para vistos de estudante na Irlanda e é ideal para quem pensa em dedicar um tempo no exterior. O estudante ainda terá a possibilidade de trabalhar legalmente, o que contribui direta e indiretamente para o desenvolvimento no aprendizado do novo idioma e cultura”, reforça o consultor de vendas da Seda College, Mario Bortoletto que estará na EDUEXPOS – feira gratuita de intercâmbios que acontece nos dias 19 e 20 de setembro em São Paulo. A Seda College fica em Dublin, na Irlanda, e recebe por ano até dois mil alunos de diferentes nacionalidades.

Educação internacional na Irlanda

A principal mudança para os alunos de escolas de idioma é a redução do visto de um ano para oito meses. A permissão de trabalho de 20 semanais durante o curso continua. “Os intercambistas devem ter em mente a importância de viver em oito meses tudo o que planejavam para um ano, ou seja, tornar a experiência ainda mais produtiva e aproveitar os benefícios da reforma que promete mais qualidade na educação”, diz Mario.

Depois do fechamento de instituições de ensino no país, deixando milhares de estudantes sem curso e sem reembolso do dinheiro pago às escolas, o Governo torna obrigatório o Learner Protection – uma segurança que as escolas devem oferecer aos alunos de transferência para outra instituição ou reembolso em caso de cancelamento da oferta de curso ou fechamento da unidade. “Quando uma determinada seguradora avalia uma instituição e certifica sua qualidade de ensino, o estudante tem certeza de retorno do investimento em caso de imprevistos. Considerando que nenhuma seguradora certificaria uma instituição com problemas, o Learner Protection também é garantia de qualidade”, complementa.

Como escolher a escola

Com o objetivo de evitar transtorno no futuro, os intercambistas devem considerar as certificações de qualidade das instituições de ensino. No caso da Irlanda, o ACELs é um dos mais importantes. A quantidade de aluno em sala também verificada – 15 no máximo – e toda a estrutura deve oferecer conforto. “A escola é a segunda casa do intercambista, por isso, a instituição deve oferecer estrutura para que o aluno se sinta seguro e confortável em todos os espaços”, explica o consultor da Seda College. Mario ainda reforça que planejamento é fundamental para o sucesso da experiência internacional. Por isso, entre os principais passos até o intercâmbio estão:

Decisão: escolas com qualidade são bastante procuradas e trabalham com reserva de matrícula com até seis meses de antecedência para oferecer qualidade e respeitar o número máximo de alunos em sala. Então, quanto antes for a decisão, maiores as chances de estudar na escola que se deseja. Além disso, fica mais fácil conseguir bom preço nas passagens aéreas e melhor cotação na hora de trocar reais por euro.

Pesquisa: buscar informações sobre o país, cultural e o endereço da escola é fundamental. A sugestão é fazer até mesmo uma pesquisa no Google Street View, pois isso ajuda a conhecer melhor o destino do intercâmbio e, ao sair do aeroporto, faz com que o intercambista tenha a sensação de já ter visitado o local antes.

Organização dos documentos: o momento de chegar à imigração costuma ser o mais tenso. A dica é simples: sorria, seja você e fale sempre a verdade. Quem não sabe falar inglês, basta apenas entregar uma pasta com todos os documentos organizados e o agente entenderá. Por isso, é preciso separar:

Ø  Passaporte (válido até o fim do curso e, preferencialmente, por mais de um ano)

Ø  Carta de matricula da escola (Enrolment letter)

Ø  Extrato do VTM (Visa Travel Money ou similar)

Ø  Passagem de retorno ao Brasil

Ø  Seguro viagem e ou seguro governamental (em muitos casos, a informação já consta na carta da escola)

Ø  Endereço da acomodação onde ficará (na carta da escola ou carta específica da acomodação)

Comments


Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *