Connect with us

Tartaruga hemiplégica tem patas amputadas, mas volta a nadar com barbatanas artificiais

Published

on

Após ser resgatada no Mar Mediterrâneo pela equipe israelense Sea Turtle Rescue Center, uma tartaruga marítima hemiplégica teve as patas dianteiras amputadas, mas recebeu um par de nadadeiras artificiais feitas por um estudante de design industrial que lhe permitiu nadar normalmente e até encontrar um par.

Quando a tartaruga, que depois foi chamada Hofesh (‘Liberdade’, em hebraico), foi encontrada, seu futuro parecia sombrio. A equipe de resgate não teve outra opção senão amputar as duas patas, deixando-a incapaz de nadar ou até mesmo de manter a cabeça acima da linha d’água.

Depois a equipe trouxe o bicho para um centro de reabilitação animal em Michmoret, uma comunidade costeira ao norte de Netanya (Israel), que se dedica a cuidar de tartarugas. Lá, o estudante de design industrial Shlomi Gez, um amante de animais, de 30 anos, que tinha lido sobre Hofesh na internet, adaptou uma barbatana para peixes que ele tinha desenvolvido feita de polipropileno, um plástico durável mas flexível e resistente à água.

‘A nadadeira permite que o peixe mantenha o equilíbrio; então eu decidi adaptar a ideia para a tartaruga’, diz Gez. Ele aperfeiçoou a invenção e a versão final é baseada em um caça de 5ª geração da Lockheed Martin, o F22 Raptor. ‘Estou usando duas pequenas nadadeiras colocadas no mesmo ângulo que os dois winglets traseiros da aeronave’, explica.

Advertisement

Como a tartaruga Hofesh faz parte de uma espécie ameaçada de extinção, os pesquisadores encontraram-lhe um par, uma tartaruga que ficou cega em razão de um acidente com um barco.

Continue Reading
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Copyright © 2023 The São Paulo Times