Connect with us

Vacinação pode ajudar na prevenção das hepatites virais

Published

on

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Manter a caderneta de vacinas em dia, evitar contato com águas contaminadas e usar preservativos são cuidados importantes para evitar as doenças.

“Existem sorologias específicas para identificar cada tipo de vírus (A, B ou C) e alguns exames complementares, que variam de acordo com os vírus presentes no organismo”, explica o Dr. Alberto Chebabo, infectologista. O médico afirma que além dos exames preventivos é essencial que a carteira de vacinação também esteja em dia. “As vacinas são aliadas na prevenção contra as hepatites A e B, e a imunização pode começar desde cedo. A vacina contra a hepatite B é indicada do nascimento até os 49 anos de idade e a vacina contra a hepatite A, que só está disponível na rede privada, pode ser dada às crianças a partir de um ano de idade”, reforça o especialista.

Os vírus causadores da doença são divididos em A, B e C e responsáveis pela forma aguda. Caso não sejam combatidos, podem levar ao óbito por insuficiência hepática agudamente ou evoluir para cirrose cronicamente. A doença pode ser silenciosa e o diagnóstico precoce é essencial para o tratamento.

A diferença entre os vírus está principalmente na forma de contágio ou transmissão. O vírus A tem transmissão fecal-oral, principalmente por meio de alimentos e água contaminados. O vírus B é transmitido através do contato sexual e do compartilhamento de materiais contaminados, como seringas, agulhas e objetos de manicure. O vírus C é transmitido pelo contato com sangue contaminado, principalmente por meio de materiais sem esterilização ou transfusão de sangue.

Dos três tipos da doença, a hepatite tipo A é a única que não se torna crônica, apesar de levar em alguns casos ao óbito por insuficiência hepática. A hepatite causada pelo vírus B evolui para doença crônica em 30% dos casos, podendo levar à cirrose hepática. Já o tipo C atinge o quadro crônico na maioria dos casos, causando cirrose hepática e muitas vezes evoluindo para o câncer de fígado.

Advertisement

“A maioria dos casos de óbito precoces se concentra entre as hepatites medicamentosas ou alcoólicas, causadas pelo abuso de medicamentos ou álcool. No entanto, a hepatite C, por exemplo, é uma doença silenciosa, que apresenta sintomas apenas em um estágio bastante avançado”, revela o Dr. Chebabo.

As principais formas de prevenção, além da vacinação, são: evitar se banhar em locais de águas contaminadas, com presença de coliformes fecais ou esgoto, utilizar preservativos nas relações sexuais e usar seringas e agulhas individuais. Os materiais cortantes, como alicates de unha ou de uso hospitalar, devem ser submetidos à esterilização. 

Continue Reading
Advertisement
Advertisement
Advertisement

Copyright © 2023 The São Paulo Times