Search
Close this search box.
Search
Close this search box.
Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Brasil viabiliza mais de R$ 64 bilhões em investimentos de geração solar em 2022, diz estudo da Greener

spacess

spacess

O volume de módulos fotovoltaicos (FV) demandados pelo mercado brasileiro para atender a geração solar ultrapassou os 17 GW em 2022, viabilizando investimentos superiores a R$ 64 bilhões, tanto para geração distribuída (GD) quanto para geração centralizada (GC), um crescimento de 73% em relação ao mesmo período do ano anterior, que registrou 10,3 GW. É o que revela o Estudo GD do Mercado Solar, realizado pela Greener.

A pesquisa, feita com quase 5 mil integradores de todo o país, também mostra que as mudanças nas regras de geração distribuída, que passaram a  vigorar  em janeiro deste ano, trouxeram leve queda na atratividade dos sistemas FV residenciais e comerciais. No entanto, para 60% dos integradores, a expectativa para 2023 é de que as empresas vendam acima de 100 kWp. “Apesar da nova realidade regulatória, a geração solar própria continua sendo um investimento rentável e vantajoso para o consumidor final”, avalia Marcio Takata, diretor da Greener.

Em 2022, o volume importado [MWp] de módulos fotovoltaicos representou  investimentos acima de R$ 64 bilhões para GD e usinas solares de grande porte.  O preço dos sistemas FV para o consumidor final teve queda média de 12% no período. A diminuição dos custos dos módulos e o elevado nível de estoque de equipamentos no atacado foram fatores que contribuíram para essa redução.

Mesmo com o forte crescimento do setor e da redução no preço dos sistemas FV, 2022 mostrou  queda na participação do financiamento bancário, responsável por 22% das vendas efetuadas no período, frente a 57% em 2021. Esse resultado decorreu da alta da taxa de juros e do cenário de incertezas políticas e regulatórias.

Os juros altos também foram citados como o maior desafio enfrentado por empresas do setor (26%) em 2022, seguidos pelo aumento da concorrência (21%), reflexo do fluxo de novas empresas integradoras no mercado, e da aprovação de crédito por parte dos bancos (15%).

O Estudo GD do Mercado Solar ouviu 4.938 empresas integradoras entre 28 de novembro de 2022 e 17 de janeiro de 2023.

O estudo completo pode ser acessado gratuitamente no site da Greener:

https://www.greener.com.br/sumario-executivo-estudo-de-geracao-distribuida-2023-2o-sem-2022/

Pesquisa aponta que, apesar de queda na atratividade por conta das novas regras do setor, geração própria de energia ainda é vantajosa para o consumidor final
VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

Copyright © 2024. Theme by Mr Da Vinci, powered by WordPress.